Uso de óleos e flores de maconha está associado à melhora da ansiedade, diz estudo

Foto mostra uma porção de buds de maconha, em tons de verde e laranja, sobre uma superfície branca. Imagem: Matthew Sheahan | Pixabay.

A cannabis também foi associada a melhorias na qualidade do sono, disseram os pesquisadores britânicos

O uso de produtos à base de maconha pode estar associado a melhorias na qualidade de vida relacionada à saúde em pacientes com transtorno de ansiedade generalizada, de acordo com um estudo publicado na Expert Review of Clinical Pharmacology.

Pesquisadores do Grupo de Pesquisa de Cannabis Medicinal do Imperial College London, no Reino Unido, investigaram os efeitos de flores secas e óleos de cannabis em uma coorte de 64 pacientes com diagnóstico de ansiedade generalizada — os óleos foram administrados por via oral ou sublingual, enquanto a planta in natura foi vaporizada.

Os dados do estudo foram coletados remotamente por meio de uma plataforma on-line no início do estudo e em acompanhamentos de um mês, três meses e seis meses.

Leia também: Estudo associa uso de flores de maconha a melhorias na qualidade de vida em autistas

A maioria dos participantes (58) recebeu THC e CBD prescritos na avaliação inicial, sendo que trinta e seis pacientes estavam tomando medicamentos para transtornos de saúde mental no início do estudo, como antidepressivos, ansiolíticos e benzodiazepínicos.

“Os resultados mostram melhora estatisticamente significativa na qualidade de vida relacionada à saúde em cada uma das três datas de acompanhamento em comparação com os dados da linha de base”, escreveram os autores.

Apenas vinte e cinco pacientes relataram eventos adversos, como boca seca e sonolência, sendo que a maioria dos eventos foram de gravidade leve ou moderada.

O estudo também sugere que a maconha está associada a melhorias na qualidade do sono em todos os períodos de tempo em comparação com a linha de base.

Algumas limitações do estudo são apontadas pelos pesquisadores, como a falta de cegamento ou grupo de controle, não permitindo uma verificação do verdadeiro efeito dos produtos de cannabis, e o fato de um grande número de pacientes estarem usando outras medicações, confundindo o efeito da maconha nos desfechos.

Leia mais: Uso vaporizado de maconha com alto teor de THC melhora a qualidade de vida, diz estudo

Os pesquisadores também pedem que estudos futuros investiguem os efeitos do uso anterior e atual de cannabis nos resultados de tratamentos à base de maconha, já que a maioria dos pacientes (55%) do atual estudo já fazia uso de cannabis e isso pode resultar em tolerância.

Os resultados sugerem que os produtos medicinais à base de cannabis podem desempenhar um papel na melhora da ansiedade no contexto do transtorno de ansiedade generalizada, embora esses sejam achados preliminares e sugiram que a causa seria prematura”, escreveram os pesquisadores na conclusão do artigo, destacando que o estudo deve servir de base para futuras investigações mais robustas e como um auxílio para a prática clínica atual.

Por fim, a equipe diz que o estudo destaca a potencial associação entre produtos de maconha e melhora da qualidade de vida geral naqueles com ansiedade generalizada, além da baixa incidência de eventos adversos graves associados ao tratamento.

As descobertas são consistentes com os resultados de estudos anteriores onde o uso de cannabis demonstrou ser eficaz na redução dos sintomas da ansiedade.

Leia mais: Estudo demonstra segurança e eficácia a longo prazo de produtos orais de cannabis

Um estudo liderado pela Orygen, uma organização australiana de saúde mental para jovens, descobriu que, após 12 semanas de tratamento com canabidiol, a gravidade e o comprometimento da ansiedade foram reduzidos em 43% em média em jovens com ansiedade refratária. Os resultados foram publicados em agosto do ano passado no Journal of Clinical Psychiatry.

“Nosso estudo piloto descobriu que o canabidiol não apenas ajudou a reduzir os sintomas de ansiedade, mas também foi muito bem tolerado — os efeitos colaterais mais comuns foram sedação leve e fadiga leve, mas isso foi no momento em que as doses foram aumentadas e geralmente ia embora depois de alguns dias”, disse o professor Paul Amminger, principal autor do estudo.

Um outro estudo, publicado em abril de 2022 na BMC Psychiatry, descobriu que indivíduos com depressão, ansiedade ou ambas as condições que usam maconha para insônia relatam melhorias significativas na gravidade dos sintomas.

Os achados revelaram que a cannabis pareceu ajudar significativamente os participantes no grupo de depressão com menos de 45 anos. Enquanto para os participantes na condição de ansiedade o uso de maconha pareceu ajudar os sintomas em todas as idades.

Dito isso, uma solução de maconha rica em canabidiol reduziu significativamente os sintomas de ansiedade e provocou melhorias em medidas de humor, sono, qualidade de vida e cognição nos participantes de um pequeno estudo publicado em novembro na Communications Medicine.

Os autores dizem que a tolerabilidade do produto de cannabis é um dos benefícios em relação à farmacoterapia convencional, que muitas vezes está associada a efeitos colaterais incômodos. “Além disso, outras farmacoterapias estão associadas a um alto risco de abuso, mas evidências recentes sugerem que os pacientes que usam produtos à base de canabinoides para fins médicos, na verdade, apresentam poucos sinais de uso problemático”, escreveram os pesquisadores no artigo.

Leia também:

Estudo determina efeitos positivos e dosagens de canabinoides para várias doenças

Imagem em destaque: Matthew Sheahan | Pixabay.

mm

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. http://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!