Dado Dolabella revela como Wanessa Camargo quebrou o preconceito e aderiu ao óleo de cannabis

Foto mostra Dado Dolabella durante participação no podcast Ticaracaticast.

“Colocou duas gotinhas debaixo da língua e, em menos de cinco minutos, zerou a dor”, comentou o ator sobre o efeito do canabidiol experimentado pela namorada

Dado Dolabella falou sobre como Wanessa Camargo quebrou o preconceito com a cannabis e usou o óleo da planta pela primeira vez. Segundo o ator, a cantora se viu obrigada a experimentar o tratamento canábico durante uma crise de cólica abdominal. A revelação aconteceu durante o último episódio do podcast Ticaracaticast.

A conversa sobre o uso medicinal da maconha começou após a apresentadora Amanda Ramalho sugerir um “papo canábico”. Em resposta a Carioca, que afirmou achar importante o desenvolvimento da “cannabis medicinal”, Dolabella disse que se tratava da mesma planta.

“Não tem diferença entre a cannabis medicinal e a cannabis ‘recreativa’, ambas têm medicina”, explicou Dolabella ao apresentador. “O THC é fundamental para alguns tipos de patologia”, afirmou o ator, após Carioca dizer que era “complicado” a presença do canabinoide.

Amanda tentou explicar que o teor de THC na cannabis consumida de forma não medicinal é geralmente maior do que na usada em tratamentos de saúde, mas foi interrompida por Carioca, que perguntou à apresentadora se ela fumava maconha.

“É recreativo ou é diário?”, perguntou o apresentador. “É medicinal”, respondeu Amanda, ressaltando que o que importa é o uso que a pessoa faz da substância, dando como exemplo o efeito medicinal que pode ter uma taça de vinho.

Leia mais: Ministro do STJ Rogerio Schietti diz que uso adulto da maconha também é “terapêutico”

Carioca rebateu fazendo comentários para demonizar a cannabis, dizendo que a planta deixa o usuário “lesado” e “doidão”, e teve uma verdadeira aula da apresentadora e do convidado sobre o sistema endocanabinoide do corpo humano e as propriedades medicinais da maconha.

Após Carioca insistir em fazer comentários depreciativos e sem embasamento científico sobre a cannabis, como a negação de que o uso fumado seja terapêutico, Dolabella contou a história de como Wanessa abandonou o preconceito e passou a usar o óleo da planta.

“A Wanessa pensava um pouco assim como você até um tempo atrás, ela tinha muito preconceito com o canabidiol, com o óleo. Eu já uso há bastante tempo por conta da recuperação celular, porque ele é anti-inflamatório”, contou o ator. Carioca retrucou dizendo que essa forma de uso é diferente do consumo fumado, pois “não dá barato”. Dolabella então explicou que mesmo o consumo oral poderia causar esse efeito, “dependendo da quantidade”.

O ator revelou tomar 1 ml de óleo de cannabis em algumas situações. “Às vezes à noite, quando estou ansioso, antes de dormir, ou treinei muito e corpo está estressado, aí dá aquela relaxada, muito melhor que relaxante muscular”, comentou.

Dolabella também explicou que o uso inalado da cannabis é muito mais eficiente: “Quando você metaboliza pelo pulmão é diferente, porque quando você toma o óleo ele vai para o estômago, vai para os rins, e demora uma hora, duas horas, para absorver. Quando você inala, você fuma, o pulmão metaboliza mais rapidamente e mais intensamente”.

Leia mais: Uso fumado de maconha rica em THC é eficaz na redução da dor lombar, diz estudo

Sobre a experiência da namorada com a cannabis, o ator contou que estavam em Alto Paraíso de Goiás, e quando foram dormir, por volta das 23h30, ela teve uma forte cólica e não tinha nenhuma farmácia aberta. “E a Wanessa não toma nenhum medicamento que ela não conhece, por que ela tem medo de dar uma reação. E ela nunca tinha tomado o óleo”, disse.

“Aí eu falei para ela: ‘amor, só tem o CBD aqui’. Ela falou que não ia tomar e que era para eu me virar e buscar um buscopan. Aí teve uma hora que ela não aguentou a dor, pegou e botou duas gotinhas debaixo da língua. Em menos de cinco minutos, zerou a dor”, contou Dolabella.

Admirado com a eficácia, o ator contou que perguntou ao médico que havia lhe prescrito o óleo por que o efeito foi tão rápido. “Ele falou que o segundo lugar no corpo da mulher onde tem mais receptores endocanabinoides é no sistema reprodutor. Por isso, o fitocanabinoide modulou o sistema endocanabinoide dela”, explicou.

“Agora ela não tira da bolsinha”, disse Carioca. “Sim, graças a deus”, respondeu Dolabella.

Um corpo crescente de estudos vem demonstrando que a cannabis pode ser um tratamento eficaz no alívio dos sintomas relacionados à menstruação, incluindo as cólicas e dores de cabeça. Os benefícios terapêuticos da planta para os sintomas deste processo do ciclo reprodutivo feminino têm sido associados às suas propriedades anti-inflamatórias.

Dolabella, que também é adepto do veganismo e ativista da causa animal, defende o uso medicinal e a descriminalização da maconha há tempos. Em 2022, ele fez uma live junto a dois advogados e um médico para informar sobre o retrocesso promovido pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) ao publicar uma resolução que limitava ainda mais a prescrição da cannabis.

Em uma live anterior, Dolabella criticou a proibição da maconha e a criminalização dos pacientes, como já aconteceu com ele ao ser detido pela polícia por estar portando flores. Ele apontou ainda para os avanços em vários setores que vêm ocorrendo nos países que legalizaram a cannabis.

Leia também:

Mercado legal de cannabis emprega mais de 440 mil pessoas nos Estados Unidos

Imagem em destaque: Ticaracaticast.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!