Xenia França revela uso de psicodélicos e defende a legalização da maconha

Foto da cantora Xenia França. Imagem: reprodução | Instagram (@xeniafranca).

Para a cantora baiana afrofuturista, a proibição da cannabis não faz sentido

Xenia França, uma voz proeminente na luta contra a opressão racial e pelo empoderamento do feminismo negro, é mais uma personalidade a declarar publicamente seu apoio à legalização da maconha. Em entrevista à revista Breeza, a cantora baiana revelou ainda que faz uso de drogas psicodélicas como ferramenta de bem-estar e para ajudar no processo de autoconhecimento.

“Como entrar no país dos outros e jogar bomba é permitido, mas a pessoa querer se cuidar, se compreender a partir de um contexto natural é considerado crime? A gente tá em 2024 e isso não faz o menor sentido pra mim”, declarou a cantora baiana.

Leia também: Lei de Drogas é a maior responsável por superencarceramento da população negra

Xenia não é usuária de cannabis, mas defende a legalização por entender que a proibição não faz sentido. “Em São Paulo todo mundo fuma maconha”, afirmou a artista, que é natural de Candeias (Recôncavo Baiano) e radicada na capital paulista há quase duas décadas.

Ela admitiu já ter fumado maconha várias vezes, mas interrompeu o uso. “Não por moralismo, mas por que eu fico rouca”. O efeito na voz da cantora acontecia também depois de consumir o óleo. “Deve ser alguma substância que tem na planta, ou o fato de eu sempre rir muito quando uso maconha”, disse a dona de uma das vozes mais potentes da música.

Em relação aos psicodélicos, Xenia afirmou que faz o uso de microdoses de psilocibina desde o início da pandemia: “Sempre experimentei sensações muito boas de bem-estar. Acho que essas substâncias te dão o que você tá precisando. O que eu precisava era me sentir bem comigo e ver como a vida realmente é legal”, disse, observando que passa um longo período sem usar a substância após terminar o ciclo de microdosagem.

“Eu acho que essas substâncias são, de maneira controlada, capazes de trazer você para o seu estado natural, que é um estado de serenidade e contemplação”, explicou a cantora à revista, ressaltando que iniciou o uso após meses de estudo sobre como funciona a microdosagem.

Leia: Uso de psicodélicos está associado a menor incidência de sintomas psicóticos em adolescentes

Representante do movimento afrofuturista brasileiro, Xenia França foi premiada no Grammy Latino 2023 pelo melhor álbum pop contemporâneo em língua portuguesa, com “Em Nome da Estrela”. Ela revelou na entrevista que durante a preparação deste álbum — o segundo em carreira solo da artista — fez o seu único uso de ayahuasca, que lhe proporcionou um bem-estar ainda maior do que a psilocibina.

Ela já havia sido indicada para a categoria de melhor álbum pop contemporâneo em 2018, com seu primeiro álbum solo (“Xenia”), e pela Melhor Canção em Língua Portuguesa com “Pra Que Me Chamas?”, em parceria com Lucas Ciriillo.

Com o clipe de “Pra que me chamas?”, Xenia também concorreu ao Berlin Music Video Awards e ao Women Music Award como Melhor Videoclipe.

No Rock in Rio 2019, a artista se apresentou em uma colaboração épica com o britânico Seal no palco Sunset. A dupla cantou o clássico “Higher ground”, de Stevie Wonder.

Leia também:

Ministro do STJ Rogerio Schietti diz que uso adulto da maconha também é “terapêutico”

Fotografia em destaque: reprodução | Instagram (@xeniafranca).

mm

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. http://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!