Estudo associa vendas de maconha medicinal a redução das vendas de álcool

Fotografia mostra a parte de cima de três potes de vidro redondos contendo buds de maconha secos, e um fundo em tons de cinza.

A cannabis para uso medicinal foi um substituto econômico para as bebidas alcoólicas no Canadá, diz pesquisador

As vendas regulamentadas de cannabis para fins medicinais estão associadas a uma redução nas vendas de álcool no Canadá, descobriu um novo estudo publicado recentemente na Health Policy.

Para chegar a essa conclusão, o professor Michael J. Armstrong, da Escola de Negócios da Universidade Brock, comparou as vendas legais de maconha medicinal às vendas de bebidas alcoólicas em sete regiões canadenses de 2011 a 2018.

A análise revelou que cada dólar de cannabis medicinal legal vendido estava associado a uma queda média nas vendas de álcool de aproximadamente CA$ 0,74 a CA$ 0,84.

Leia também: Opinião pública nos EUA diz que maconha é menos perigosa que o álcool

“Isso sugere que a cannabis medicinal foi um substituto econômico para o álcool no Canadá”, escreveu Armstrong.

O estudo constatou que as vendas canadenses de álcool em 2017–2018 foram de aproximadamente 1,8% menor do que seriam sem a maconha medicinal legal.

Armstrong também sugere que as descobertas implicam indiretamente que a redução do consumo de bebidas alcoólicas pode ter sido compensada parcialmente pelos impactos econômicos e de saúde da legalização da cannabis.

“Por exemplo, o aumento dos problemas de saúde relacionados à cannabis pode vir com a diminuição dos problemas relacionados ao álcool. E a nova receita de impostos sobre a cannabis dos governos pode ser compensada por menores receitas de impostos sobre o álcool”, explicou o pesquisador ao MJBizDaily.

Leia mais: Consumidores de maconha no Canadá melhoram percepção sobre o mercado legal

Ele ainda aponta em seu artigo que apenas um estudo anterior comparou diretamente as vendas de bebidas alcoólicas com as vendas de maconha, estimando uma redução de 15% na demanda por álcool do estado de Washington em 2015 devido às vendas de cannabis para uso adulto licenciadas pelo estado.

Os achados são consistentes com vários estudos anteriores que viram os consumidores de maconha e álcool preferindo a erva diante do fornecimento de acesso legal.

Uma pesquisa da New Frontier Data divulgada em 2018, que entrevistou 3.000 estadunidenses adultos consumidores de maconha, mostrava dois terços (65%) dos participantes dizendo que, tendo a opção de escolher, preferiam a cannabis em vez do álcool, e 74% respondendo que a erva é mais segura que a bebida.

Outro estudo, publicado em outubro pela Universidade de Monmouth, descobriu que uma maioria de 54% dos adultos nos EUA acredita que o uso de álcool é mais perigoso do que a maconha.

Leia também:

Consumidores de maconha se adaptam às pressões inflacionárias nos EUA, mostra pesquisa

Imagem de capa: Budding / Unsplash.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!