Uso de maconha está ligado a menor risco de diabetes em pacientes com hepatite C, diz estudo

Fotografia de um recipiente transparente em formato cônico e com cabo, contendo dois buds de maconha encaixados em sua boca, em fundo amarelo liso. Imagem: THCamera Cannabis Art.

Estudo realizado por cientistas franceses revela que indivíduos portadores de hepatite C que usam maconha correm menos risco de diabetes do que os não usuários. As informações são da NORML

Pessoas infectadas com hepatite C que usam cannabis apresentam um risco menor de diabetes, de acordo com dados publicados no Journal of Viral Hepatitis.

Uma equipe de pesquisadores franceses avaliou a relação entre o consumo de cannabis e a prevalência de diabetes em uma amostra nacionalmente representativa de mais de 10.000 indivíduos com hepatite C. Como a infecção crônica pelo vírus da hepatite C (VHC) é um fator de risco de resistência à insulina, os pacientes infectados pelo VHC correm um risco maior de desenvolver diabetes do que a população em geral.

Os pesquisadores relataram que os indivíduos que reconheceram o uso atual de maconha tinham aproximadamente metade (OR: 0,49) da probabilidade de ter diabetes dos não usuários. Aqueles que anteriormente consumiam maconha também possuíam um risco reduzido de diabetes em comparação com os que nunca usaram, mas seu risco reduzido não foi tão significativo (OR: 0,81).

Leia mais: Fumar maconha diminui risco de diabetes

Os autores concluíram: “Neste grande estudo transversal de pacientes infectados com VHC crônicos, o uso de cannabis foi associado a um menor risco de diabetes, independentemente de fatores clínicos e sociocomportamentais. Mais estudos são necessários para elucidar uma ligação causal potencial e lançar luz sobre os compostos de cannabis e os mecanismos envolvidos nesta relação”.

Um estudo anterior, publicado na revista Clinical Infectious Diseases em 2015, relatou que o uso de cannabis está positivamente associado a um menor risco de resistência à insulina em pacientes coinfectados com HIV e hepatite COutros estudos que avaliam a relação entre o uso de maconha e o risco de diabetes em indivíduos sem outras condições pré-existentes relatam que um histórico de maconha está associado a uma prevalência mais baixa de diabetes tipo 2, bem como do desenvolvimento de certos fatores de risco metabólicos associados ao início da doença.

Leia também:

THC em certos níveis é eficaz na redução da dor na neuropatia diabética, diz estudo

#PraCegoVer: em destaque, foto de um recipiente cônico, de vidro transparente que também forma o seu cabo, em forma de cachimbo, com dois buds de maconha encaixados em sua boca, e um fundo amarelo. Imagem: THCameraphoto.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!