Uruguai: indústria dobra o número de licenças para cultivo de cannabis em um ano

Fotografia mostra um cultivo interno de maconha onde diversas plantas com top buds bem desenvolvidos são vistas do primeiro plano, em foco, ao fundo, sob uma iluminação amarelada. Imagem: Unsplash | Crystalweed. países baixos

O Anuário do Ministério de Pecuária, Agricultura e Pesca do Uruguai destaca o avanço do número de licenças e do cultivo de cannabis em estufa no país

“O Uruguai foi o primeiro país do mundo a regulamentar a produção de cannabis, tanto para uso adulto e medicinal quanto para uso industrial”, diz o Anuário publicado pela Oficina de Estatísticas Agropecuárias do Ministério de Pecuária, Agricultura e Pesca (MGAP).

Leia mais: Instituto de Tecnologia do Paraná firma acordo com órgão regulador de maconha do Uruguai

Os números mostram os resultados relativos à exportação e importação de produtos agrícolas. Mas entre eles se destaca o crescimento e as mudanças pelas quais está passando a indústria uruguaia de cannabis, que neste 2023 fará dez anos desde que foi declarada legal. As estatísticas refletem um sucesso significativo em 2 aspectos principais: número de licenças e cultivo em estufa.

Licenças de cultivo de maconha no Uruguai

Em 2014, apenas 2 licenças foram concedidas para cultivar 20 hectares ao ar livre. Até 2021, 80 licenças foram entregues. Mas a mudança significativa ocorreu no ano passado, quando foram concedidas 167, mais que o dobro. Estas permitiram o cultivo de 513 hectares, dos quais foram efetivos 453. Os principais distritos em que foram plantados foram: Canelones, Maldonado e Colonia.

Cultivo em estufas

Esse fator quase dobrou entre 2020 e 2022. Passou de 120 mil metros quadrados para 239.782. Em contraste com esses dados, há uma diminuição no número de cultivos ao ar livre, que desde 2020 vem diminuindo. De fato, em 2022 o número foi reduzido para 513 ha, tendo sido de 580 ha no ano anterior. As causas específicas não são conhecidas, mas sabe-se que as estufas protegem as plantas das pragas e da chuva, bem como estendem o fornecimento de luz para além da oferecida pelo Sol.

Mais e mais países estão contemplando a legalização ou descriminalização da maconha. Isso gera um aumento na oferta em todo o mundo. Nesse caso, o principal destino da produção uruguaia de CBD é a Suíça, cujos fumantes de tabaco começaram a substituí-lo por cigarros de CBD, o que tem sido favorável para o desenvolvimento do setor, conforme refletido nos números do MGAP.

Por Lucía Tedesco, originalmente publicado no El Planteo.

Leia também:

Maconha com maior teor de THC chega às farmácias uruguaias

#PraTodosVerem: fotografia mostra um cultivo interno de maconha onde diversas plantas com top buds bem desenvolvidos são vistas do primeiro plano, em foco, ao fundo, sob uma iluminação amarelada. Imagem: Unsplash | Crystalweed.

Sobre El Planteo

El Planteo é um meio de comunicação focado em tópicos inovadores como cannabis, cânhamo, psicodélicos, música, ecologia, criptomoedas, questões de gênero e sexualidade e muito mais. Nosso conteúdo frequentemente tem um ângulo econômico ou financeiro. El Planteo é financiado pela Benzinga, um meio de comunicação financeiro dinâmico e inovador com sede em Detroit que fornece aos investidores conteúdo exclusivo e de alta qualidade cobiçado pelos principais operadores de Wall Street.
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!