Docentes da Unifesp defendem redução de danos em nota técnica enviada à Alesp

Foto que mostra uma superfície de madeira escura repleta de substâncias (drogas), como garrafas de bebidas, embalagens de cigarros, maconha, cocaína, compridos e seringas, além de acessórios, como isqueiros, cinzeiros e sedas. Foto: Cabrera Photo | Flickr. Unifesp

Docentes do Campus Baixada Santista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) relatam a importância de recursos políticos para campanhas efetivas de redução de danos para a sociedade

A nota técnica ressalta a necessidade de campanhas efetivas de redução de danos e responde aos projetos de lei nº 978, 981, 984 e 994 de 2023, conhecidos popularmente como “pacote anticrack”. Produzido por docentes da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), o documento resgata o histórico das políticas internacionais sobre drogas e apoia a construção de políticas públicas pautadas em evidências.

Leia também – Câmara dos Deputados: projeto propõe limitar a liberação de recursos para redução de danos

“É imperativo que a formulação de Políticas Públicas, que passam pelo crivo do Poder Legislativo, seja fundamentada nas melhores evidências científicas, produzidas, implementadas e acompanhadas no âmbito acadêmico. Desse modo, faz-se necessária a interação constante dos pesquisadores e pesquisadoras das Universidades com Parlamentares, buscando assegurar aos legisladores pilares de sustentação na tomada de decisões que impactam diretamente na população”,  disse o Professor Odair Aguiar Junior, Diretor Acadêmico do Campus Baixada Santista, em nota oficial da Unifesp.

O documento que leva a assinatura de 12 docentes convoca legisladores e profissionais das áreas de saúde, assistência social, educação, direito e economia a contribuírem com a construção de políticas públicas baseadas em evidências científicas e no contexto histórico-social do país. É um alerta para saúde pública, que precisa de propostas de tratamento para os problemas com drogas, tornando possível combater e evitar a propagação de doenças, promovendo uma sociedade justa, inclusiva e resiliente, sem a exclusão de cidadãos.

Os gabinetes dos deputados estaduais Caio França, Carlos Giannazi, Eduardo Suplicy, Leci Brandão, Márcio Nakashima, Marina Helou, Paula Nunes, Paulo Fiorilo, Simão Pedro, Solange Freitas e Teonilio Barba recebem o grupo. Os deputados afirmam compromisso em defender e pautar ações que protejam e garantam os direitos humanos em convergência com os acordos internacionais.

Leia também:

Redução de Danos: o que é e como funciona?

Foto de capa: Cabrera Photo | Flickr.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!