Atual campeão no UFC, Sean O’Malley revela como usa a maconha nos treinos

Sean O'Malley. Fotografia: Zuffa LLC.

Detentor do título dos galos, o lutador explicou que faz uso da cannabis para manter-se focado nos treinamentos

O icônico lutador do UFC Sean O’Malley, atual campeão do peso-galo, contou como usa a maconha para se concentrar em seus treinos. Suga, como também é conhecido, disse que faz uso moderado da planta e prefere utilizar um vaporizador em vez de um baseado, para manter o condicionamento.

“Eu realmente não fumo tanto quanto as pessoas pensam. No que diz respeito a ser um atleta profissional, acho que faço isso melhor do que qualquer um no UFC em termos de recuperação. Meus hábitos, minhas rotinas, acho que estou em outro nível comparado a qualquer pessoa no UFC”, disse O’Malley ao “Mighty” Demetrious Johnson.

Leia também: Atletas relatam que o uso de cannabis ajuda na recuperação do exercício

Conhecido por sua ótima performance no octógono, O’Malley toma medidas para maximizar os benefícios terapêuticos da cannabis e garantir que seus treinos sejam proveitosos e seu condicionamento físico permaneça no nível do Ultimate.

“Eu vaporizo, principalmente em campo. Não vou fumar um baseado. Não vou fumar no bong, fumar no cachimbo ou dabear. Eu ‘fumo’ de uma forma limpa, em um vaporizador de qualidade praticamente uma vez por dia”, afirmou O’Malley.

 

 

 

O lutador explicou que usa a maconha como uma ferramenta para ajudá-lo a manter o foco nos treinamentos. “Você pode se concentrar em qualquer tarefa que quiser”, sublinhou.

“Muitos dos meus treinos mais longos, como os treinos mais lentos de 60 minutos, ou treinos com frequência cardíaca mais baixa, eu faço simplesmente chapado”, destacou o campeão dos galos.

Um dos lutadores mais carismáticos do UFC, O’Malley já demonstrava seu entusiasmo para com a cannabis desde quando era uma estrela em ascensão no octógono. Em 2018, o lutador atraiu os holofotes quando posou para as câmeras com um baseado na boca, durante a transmissão de uma luta no Arizona.

Leia também: Fumar maconha antes do treino torna o exercício mais prazeroso, segundo estudo

Defensor da maconha de longa data, tendo difundido as propriedades medicinais da planta aos seus milhões de seguidores nas redes sociais, O’Malley também é um empreendedor no mercado canábico.

Em parceria com a empresa estadunidense VIIA Hemp e seu treinador, Tim Welch, O’Malley lançou uma marca de gomas de cannabis voltadas para o desempenho físico e recuperação. Ele também tem uma colaboração com a King Palm, que fabrica blunts naturais.

Atualmente com 29 anos de idade, Sean O’Malley contabiliza 17 vitórias e uma derrota. Ele se tornou campeão do peso-galo em agosto do ano passado, quando nocauteou Aljamain Sterling. O lutador defenderá o cinturão pela primeira vez no dia 9 de março, contra o equatoriano Marlon Vera.

Maconha não é doping

O UFC anunciou em dezembro que a maconha não faz mais parte de sua lista de substâncias proibidas. A mudança faz parte de sua nova política antidoping e acontece após a organização encerrar sua parceria com a USADA (Agência Antidoping dos EUA).

Os atletas do Ultimate já não eram punidos por testes positivos para cannabis desde 2021, quando a USADA alterou seu regulamento para se adequar à ciência (níveis de THC no sangue não têm correlação com o quanto um lutador está afetado) — contudo, a maconha permanecia na lista e a punição poderia ocorrer se evidências adicionais demonstrassem que a substância foi usada pra melhora de performance.

O diretor de negócios do UFC, Hunter Campbell, afirmou em comunicado que a alteração reflete o objetivo da organização de ter “o melhor, mais eficaz e mais progressivo programa antidoping em todos os esportes profissionais”.

Leia mais:

UFC remove a maconha da lista de substâncias proibidas

Imagem de capa: Zuffa LLC | Divulgação.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!