Ucrânia: Ministros aprovam legalização da cannabis para fins medicinais

Foto mostra uma bandeira da Ucrânia hasteada e flamulando e um céu com algumas nuvens brancas e o Sol, ao fundo. Imagem: jorono | Pixabay.

Projeto de lei autoriza os usos medicinal e industrial da maconha; pesquisa aponta que maioria da população ucraniana é favorável à regulamentação

O Gabinete de Ministros da Ucrânia aprovou na terça-feira (7) um projeto de lei que visa regulamentar a cannabis para fins médicos e uso industrial. A proposta agora segue para o Parlamento ucraniano.

A aprovação da proposta foi anunciada pelo ministro da saúde Viktor Liashko em um post no Facebook.

“O gabinete apoiou o projeto de lei ‘sobre a regulamentação da circulação de plantas do gênero cannabis para fins médicos, industriais e científicos e criação de condições para a expansão do acesso dos pacientes ao tratamento necessário de condições oncológicas e transtorno de estresse pós-traumático induzido pelo combate”, escreveu Liashko.

Leia também: Governo tailandês deve iniciar distribuição de plantas de maconha em Buri Ram

Um projeto de lei sobre cannabis medicinal, patrocinado por um grande grupo de parlamentares de vários partidos, incluindo líderes do partido majoritário e chefes de comitês parlamentares importantes, foi submetido ao parlamento ucraniano em julho de 2021, mas não recebeu o número de votos necessários para a adoção.

Agora um novo projeto de lei apresentado pelo Gabinete de Ministros ao parlamento quer ampliar o acesso à cannabis para uso medicinal na Ucrânia.

“Entendemos os efeitos negativos da guerra na saúde mental”, escreveu Liashko. “Entendemos o número de pessoas que precisarão de tratamento médico como resultado dessa exposição. E entendemos que não há tempo para esperar.”

O ministro diz que uma base legislativa foi preparada para garantir o ciclo completo de produção de medicamentos à base de cannabis na Ucrânia, “desde o cultivo e processamento até a produção completa”.

“As campanhas de comunicação contra a produção de cannabis equiparam deliberadamente medicamentos à base de cannabis com cannabis ilícita, a fim de minar seu valor medicinal e desacreditar a própria ideia de seu uso para fins médicos”, alertou o ministro, explicando que os medicamentos de cannabis não são “concorrentes” das drogas ilícitas.

O projeto de lei aprovado pelos ministros controlaria rigorosamente o cultivo, produção e venda de produtos de cannabis para fins medicinais.

“Historicamente, medicamentos à base de cannabis têm sido usadas para reduzir a dor, espasmos musculares e cãibras, tratar anorexia, TEPT e transtornos de ansiedade”, destacou Liashko. “Além disso, eles são usados no tratamento de certos tipos de epilepsia, glaucoma, psoríase, parkinsonismo, esclerose múltipla. Uma tarefa importante desses medicamentos é aliviar a dor e o sofrimento em pacientes criticamente doentes e paliativos, incluindo pacientes com câncer e pacientes com HIV.”

Em 2020, a população da Ucrânia já expressou seu desejo de autorizar o uso de cannabis medicinal por pacientes gravemente doentes. Em uma pesquisa iniciada pelo presidente Volodymyr Zelensky e realizada para as eleições locais, 65% dos eleitores que participaram votaram a favor da legalização da cannabis para fins medicinais.

Leia mais:

“Marcha pela Liberdade” da Ucrânia apela à comunidade canábica global por assistência durante a guerra

#PraTodosVerem: foto mostra uma bandeira da Ucrânia hasteada e flamulando e um céu com algumas nuvens brancas e o Sol, ao fundo. Imagem: jorono | Pixabay.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!