Teste de drogas: tratamentos com cannabis podem alterar o resultado?

teste Teste de drogas: tratamentos com cannabis podem alterar o resultado?

Em diversas ocasiões, seja para conseguir um emprego, renovar a carteira de motorista ou até participar de competições esportivas, é preciso fazer o famoso exame toxicológico. Onde entra a cannabis medicinal nessa história? Entenda

No Brasil, foram implantados os “drogômetros”. Espécie de bafômetro para drogas. Eles funcionam em rodovias federais, e podem detectar o uso de cannabis, cocaína e MDMA. A iniciativa, segundo o governo federal, tem como principal objetivo parar motoristas que dirigem sob efeitos de drogas.

Antes de relacionar o teste de drogas com o uso da cannabis, é preciso entender em quais situações o teste é solicitado e como recorrer caso dê positivo. Os testes de drogas são exigidos em diversos cenários:

  • Renovação da CNH de Categoria C, D ou E;
  • Toxicológico Periódico (teste de drogas a cada 2 anos e 6 meses para motoristas com CNH C, D ou E com idade inferior a 70 anos);
  • Concursos Públicos (Policiais Militares, Forças Armadas, Guarda Municipal, entre outros);
  • Motoristas Profissionais de Veículos Pesados – CLT;
  • Pessoas que se envolveram em acidentes com veículos a motor, embarcações ou acidentes de trabalho;
  • Pessoas que tentaram suicídio por meios não claros;
  • Pessoas em programas de tratamento ordenados pela justiça, ou em período comprobatório ou liberdade condicional que exigem abstinência (para monitorar a adesão);
  • Pessoas em um programa de tratamento para abuso de substâncias (como uma característica padrão para obter evidências objetivas sobre seu uso e, assim, melhorar o tratamento);
  • Pessoas que devem participar de um programa de testes para drogas como parte da custódia ou de direitos parentais.

Agora que as situações já foram apresentadas, o que fazer caso o teste dê positivo?

Primeiramente, antes do teste ser feito, haverá um formulário para ser preenchido. Nele, as questões são sobre uso de drogas lícitas e ilícitas. É preciso ser verdadeiro. Responder tudo com o máximo de honestidade.

No caso do THC (tetrahidrocanabinol), basta que haja uma concentração de 0,9% no corpo, que o teste detecta como positivo. Caso isso aconteça, será necessário apresentar o laudo médico para provar que a porcentagem de CBD (canabidiol) ou de THC em seu corpo vem de um tratamento médico, acompanhado de um profissional.

Leia também: O canabidiol (CBD) ajuda no foco?

Em conversa com a Cannalize, o coordenador científico da Plataforma Brasileira de Política de Drogas, Renato Filev, comentou sobre os possíveis testes positivos de pessoas que fazem o uso de canabinoides:

“Os testes são variados e podem detectar uma ou mais substâncias. Geralmente, os testes que envolvem detecção toxicológica de uso de substâncias focados na cannabis buscam detectar o THC, Delta-9-THC ou o seu metabólico, que é o 11- Hidroxi-THC. Ou seja, são duas moléculas que podem ser detectáveis, mas há outros testes que fazem uma multiplicidade de detecções, como o canabidiol ou outros canabinoides”.

De acordo com o pesquisador do Johns Hopkins Bayview Medical Center, Tory Spindle, a cannabis raramente é usada apenas uma vez em tratamentos medicinais, diferente de seu estudo.

É aqui que está o problema. Segundo os pesquisadores, o THC e seus derivados podem, com o uso constante, se acumular no corpo. Assim, a chance de positivar nesses exames é alta. Dados de outros estudos ainda alertam para erros contidos nos rótulos desses produtos. De acordo com um estudo da Universidade da Pensilvânia, 21% dos produtos de CBD/cânhamo vendidos on-line contêm THC, apesar de não estar no rótulo.

Embora muitas pessoas nos EUA usem produtos de CBD, a maioria não sabe que o THC pode estar nas fórmulas, disseram os pesquisadores.

Além do THC e do CBD, um estudo feito no ano passado no Centro de Ciências da Saúde da Universidade de Utah, nos Estados Unidos, mostrou que o CBN também pode ser detectado nos testes de drogas, e confundido com o tetraidrocanabinol (THC), o componente da cannabis que gera os efeitos psicotrópicos da maconha.

Ao testarem alguns canabinoides em um dos exames de drogas mais comum, foi descoberto que o CBN é o canabinoide mais provável de causar um falso resultado positivo para maconha. O teste confirmou a presença de THC até com apenas 100 ng/ml de canabinol. Estas descobertas podem ajudar na interpretação dos testes de drogas, quando o paciente utilizar o CBN como tratamento.

O fato curioso é que o CBN não causa os efeitos do THC, ele é mais parecido com o canabidiol.

Leia também:

Posso beber álcool no meu tratamento com CBD?

#PraTodosVerem: fotografia de capa mostra homem paramentado com traje e equipamentos de laboratório (capa, luvas, máscara e face shield) segurando com a ponta dos dedos um cotonete de coleta de material para teste toxicológico. Foto: Pexels.

 Teste de drogas: tratamentos com cannabis podem alterar o resultado?

Sobre Cannalize

A Cannalize é um portal segmentado com o foco em trazer educação ao público, tanto sobre a cannabis medicinal quanto o uso adulto. O objetivo é responder todas as dúvidas sobre o universo canábico, desmistificar mitos e informar de forma embasada em e ancorada em especialistas e pesquisas científicas.
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!