Terpenos da cannabis proporcionam alívio da dor e contribuem para o “efeito entourage”

Fotografia, em close, de um bud de maconha (cannabis) seco de pistilos alaranjados, com foco no centro, em uma superfície cinza que se mistura ao fundo em degradê. Foto: Unsplash | 2H Media.

Pesquisadores da Universidade do Arizona descobriram que os terpenos imitam os canabinoides e produzem efeitos analgésicos semelhantes

Quando se trata das propriedades medicinais e terapêuticas da Cannabis sativa, um mistério não resolvido é se existe um “efeito entourage” (comitiva), pelo qual os efeitos analgésicos da planta como um todo são maiores do que o resultado de qualquer uma de suas partes individuais. Uma nova pesquisa do Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Arizona (UArizona Health Sciences), nos EUA, encontrou evidências que favorecem a teoria do efeito entourage e posicionam os terpenos da cannabis, a parte da planta que fornece sabor e aroma, como um novo alvo promissor para terapias contra a dor que exigiriam doses menores e produziriam menos efeitos colaterais.

“Muitas pessoas estão tomando cannabis e canabinoides para a dor”, disse o pesquisador principal John Streicher, PhD, membro do Centro Abrangente de Dor e Adicção do UArizona Health Sciences e professor associado de farmacologia na Faculdade de Medicina de Tucson. “Estamos interessados ​​no conceito de efeito entourage, com a ideia de que talvez possamos aumentar a eficácia modesta de alívio da dor do THC sem aumentar os efeitos colaterais psicoativos, para que você possa ter um melhor tratamento”.

Leia: Ciência revela a maior mentira da indústria canábica: estão comprando maconha de forma errada

Os terpenos são compostos aromáticos encontrados em muitas plantas e são o componente básico dos óleos essenciais. O terpeno linalol, por exemplo, dá à lavanda seu perfume floral distinto. Além dos terpenos, a Cannabis sativa contém compostos naturais conhecidos como canabinoides, os mais conhecidos dos quais são o canabidiol, ou CBD, e o tetraidrocanabinol, ou THC.

Os pesquisadores descobriram que os terpenos da cannabis, quando usados ​​sozinhos, imitam os efeitos dos canabinoides, incluindo uma redução na sensação de dor. Quando combinados com canabinoides, os efeitos analgésicos foram amplificados sem um aumento nos efeitos colaterais. O artigo, “Os terpenos da Cannabis sativa são canabimiméticos e aumentam seletivamente a atividade canabinoide”, foi publicado na Scientific Reports.

“Foi inesperado, de certa forma”, disse o Dr. Streicher. “Era nossa hipótese inicial, mas não esperávamos necessariamente que os terpenos, esses compostos simples encontrados em várias plantas, produzissem efeitos semelhantes aos dos canabinoides.”

O Dr. Streicher e a equipe de pesquisa, incluindo o ex-aluno de graduação e primeiro autor Justin LaVigne, PhD, o ex-pesquisador Ryan Hecksel e o ex-colega de pós-doutorado Attila Kerestztes, PhD, se concentraram em quatro terpenos de cannabis: alfa-humuleno, geraniol, linalol e beta-pineno. Eles avaliaram cada terpeno sozinho e em combinação com WIN55,212-2, um agonista canabinoide sintético que estimula os receptores canabinoides naturais do corpo.

Saiba mais: Terpenos: o que são e como usá-los na culinária cannábica?

Quando um canabinoide como o THC entra no corpo, ele se liga a um dos dois receptores canabinoides — CB1R, que é o mais abundante, ou CB2R. O receptor então ativa os neurônios que afetam os processos fisiológicos e o comportamento. Em experimentos de laboratório, os pesquisadores descobriram que todos os quatro terpenos ativaram o CB1R, assim como o THC.

Estudos comportamentais em modelos de camundongos revelaram que, quando administrados individualmente, todos os quatro terpenos diminuíram a sensibilidade à dor e pelo menos três dos quatro efeitos colaterais dos canabinoides clássicos: sensação de dor reduzida, temperatura corporal baixa, movimento reduzido e catalepsia, um comportamento de congelamento relacionado aos efeitos psicoativos dos canabinoides. Quando os terpenos foram combinados com WIN55,212-2, os pesquisadores observaram uma maior redução na sensação de dor em comparação com o terpeno ou WIN55,212-2 sozinhos, demonstrando uma interação terpeno/canabinoide no controle da dor.

A pesquisa em andamento do Dr. Streicher está se concentrando no uso de terpenos em combinação com opioides e para tipos específicos de dor relacionada ao câncer. Seu objetivo a longo prazo é desenvolver uma estratégia de redução da dose que usa terpenos — geralmente reconhecidos como seguros pela Food and Drug Administration dos EUA — em combinação com canabinoides ou opioides para atingir os mesmos níveis de alívio da dor com doses mais baixas de drogas e menos efeitos colaterais.

Veja também:

Novo estudo mostra efeitos da cannabis de alta potência na memória

#PraTodosVerem: fotografia, em close, de um bud de maconha seco de pistilos alaranjados, com foco no centro, em uma superfície cinza que se mistura ao fundo em degradê. Foto: Unsplash | 2H Media.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!