Receita tributária da maconha ultrapassa álcool e tabaco no Colorado e em Washington

Foto em plano fechado e vista superior de um pote de vidro redondo cheio de buds secos de maconha, em tons de verde e laranja. Foto: Dank Depot | Flickr.

Os estados do Colorado e Washington obtiveram mais receita de impostos com as vendas de maconha do que com bebidas alcoólicas ou cigarros no ano fiscal de 2022, de acordo com um novo relatório. Isso mesmo com a arrecadação apresentando um declínio nesse período

Entre todos os 11 estados americanos que coletaram receita tributária de cannabis no ano fiscal de 2022, oito viram a receita de impostos sobre maconha ultrapassar a do álcool, enquanto Colorado e Washington também coletaram mais impostos sobre cannabis do que impostos sobre cigarro e Nevada teve uma arrecadação sobre a erva superior à do tabaco. É o que aponta um novo relatório do Tax Policy Center.

Leia também: EUA: 60% eleitores apoiam a legalização federal da maconha

“O objetivo subjacente da legalização da maconha é reduzir as vendas ilegais, enquanto os principais objetivos dos impostos sobre a cannabis são aumentar a receita, abordar as consequências negativas do uso de cannabis não refletidas no preço de compra e desencorajar o uso de produtos altamente potentes. O desafio de tributar a maconha é alcançar esses últimos objetivos sem criar um sistema tributário excessivamente oneroso ou complexo que comprometa o objetivo subjacente da legalização”, disseram os pesquisadores do TPC.

Entre julho de 2021 e junho de 2022, o Colorado arrecadou US$ 353,7 milhões (R$ 1,84 bilhão) em impostos sobre a cannabis, o que representa quase sete vezes mais do que o estado gerou com a tributação sobre o álcool, e um pouco mais do que a receita oriunda dos tributos sobre o cigarro.

 

 

No mesmo período, o estado de Washington gerou US$ 517 milhões (R$ 2,69 bilhões) em impostos sobre a maconha, cerca de US$ 490 milhões sobre o consumo de álcool e US$ 380 milhões sobre os cigarros.

Os dois estados pioneiros na legalização da maconha para uso adulto, após um longo histórico de crescimento na arrecadação tributária sobre a erva, vale destacar, tiveram uma diminuição significativa na receita de cannabis nesse último ano fiscal, como pode ser observado no gráfico abaixo:

Com 100% da receita tributária de maconha do Colorado indo para o fundo de construção de escolas públicas e Washington direcionando 50% de sua arrecadação sobre a cannabis para a saúde básica (e o restante divido entre o fundo geral do estado, educação e prevenção ao abuso de drogas e outras despesas), os defensores da legalização provaram mais um de seus argumentos para a mudança de política: o de que a nova fonte de recursos pode ajudar a financiar os serviços governamentais.

O relatório sobre os impostos da cannabis foi elaborado pelo Tax Policy Center, centro composto por especialistas reconhecidos nacionalmente nos EUA em impostos, orçamento e política social que serviram nos mais altos níveis do governo.

Leia mais: Legalização da maconha diminui valor de mercado e vendas da indústria farmacêutica

Dito isso, o Instituto de Tributação e Política Econômica (ITEP) divulgou em abril uma análise sobre 11 estados americanos que legalizaram o uso adulto da maconha, onde aponta que, no total, “as receitas da cannabis superaram o álcool em 20%” em 2021.

“Após a legalização da cannabis, a receita tende a começar baixa, mas cresce rapidamente à medida que as empresas legais aumentam a produção e as vendas. A receita tributária do tabaco, por outro lado, está estagnada ou em declínio em muitos estados por que o uso do tabaco está diminuindo”, escreveram os analistas do ITEP sobre como a arrecadação sobre a maconha está eclipsando outros “impostos do pecado”.

A Gallup divulgou dados em agosto mostrando que mais estadunidenses agora admitem abertamente que fumam maconha (16%) ou consomem comestíveis canábicos (14%) do que dizem que fumam tabaco (11%), e que mais do que o dobro dos entrevistados pensam que a cannabis tem um impacto positivo em seus consumidores (mais de 70% acreditam que o álcool é prejudicial aos bebedores).

Um estudo publicado em maio no Journal of Adolescent Health descobriu que a legalização da maconha está associada à diminuição do uso de álcool, tabaco e analgésicos não prescritos entre adultos jovens.

Leia também:

Argentina aprova a primeira fábrica nacional de produtos de cannabis

#PraTodosVerem: foto em plano fechado e vista superior de um pote de vidro redondo cheio de buds secos de cannabis, em tons de verde e laranja. Foto: Dank Depot | Flickr.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!