O prisioneiro não violento de maconha há mais tempo encarcerado nos EUA foi libertado

Duas fotos de rosto de Richard DeLisi, uma da época em que foi preso e uma atual. Crédito: Last Prisoner Project.

Richard DeLisi, 71, que recebeu uma sentença de 90 anos em 1989 por tráfico de cannabis, será libertado em dezembro de uma prisão estadual na Flórida. As informações são do New York Post

Um homem descrito como o recluso mais antigo dos EUA por crimes não violentos relacionados à maconha será libertado “mais cedo” de uma prisão da Flórida no mês que vem, depois de cumprir 32 anos atrás das grades, disse uma organização sem fins lucrativos.

Richard DeLisi, 71, que recebeu uma sentença de 90 anos em 1989 de um juiz do Condado de Polk por tráfico de maconha, será libertado em dezembro da prisão South Bay Correctional Facility, anunciou esta semana o Last Prisoner Project, uma organização sem fins lucrativos que trabalha pela reforma da justiça criminal relacionada a crimes por cannabis.

A data de soltura de DeLisi ocorre depois que o Last Prisoner Project, juntamente com advogados pro bono, complementaram o pedido de clemência anteriormente apresentado por DeLisi no início deste ano e continuaram a advogar em seu nome para autoridades locais da Flórida e principais interessados ​​no estado, disse a organização.

“É incrivelmente maravilhoso saber que logo estarei em casa com minha família e entes queridos. Agradeço a todos que estiveram lá e me ajudaram nesses longos anos”, disse DeLisi em um comunicado à sua equipe jurídica ao receber a notícia.

“Se eu pudesse voltar a 1988, diria ao meu antigo eu para dar mais valor ao tempo que passo com minha família. Aprendi que dinheiro é algo que vem e vai, mas a família é para sempre”, disse ele.

 

 

 

Leia mais: Após nove anos na prisão por quantia ínfima de maconha, homem é libertado nos EUA

DeLisi continuou: “Vou levar essa lição para casa comigo e vou aproveitar ao máximo cada momento que me resta nesta terra com minha família maravilhosa. Estou tão animado para abraçar meus filhos e netos. Perdi tantos momentos importantes com eles e mal posso esperar para sair por aí e criar memórias preciosas com todos. Estou tão emocionado por este capítulo sombrio da minha vida finalmente ter acabado”.

Durante mais de três décadas de prisão, um filho, a esposa e os pais de DeLisi faleceram, disse o Last Project, observando que seus amigos e familiares restantes, incluindo seus dois filhos e cinco netos, estão “ansiosos” para comemorar sua libertação antecipada.

“Só quero abraçar meu pai fora da prisão”, disse a filha de DeLisi, Ashley, que não faz aniversário com o pai desde os três anos de idade.

Em 1988, DeLisi e seu irmão mais velho, Ted, foram presos e acusados ​​de tráfico de cannabis, conspiração para traficar cannabis e extorsão após contrabandearem maconha da Colômbia para o sul da Flórida.

Ambos foram condenados em 1989 e sentenciados cada um a três sentenças consecutivas de 30 anos.

Ted DeLisi apelou de sua condenação e foi libertado da prisão em 2013, mas o recurso de Richard DeLisi foi rejeitado, de acordo com o USA Today.

Os irmãos DeLisi, filhos de um mecânico do Brooklyn, arrecadaram US$ 50 milhões com sua operação de maconha, relatou o The Palm Beach Post.

“Houve tantas vezes em que eles tentaram nos fazer trazer as outras coisas, a cocaína e a heroína”, disse Richard DeLisi ao The Palm Beach Post em 2018. “Nunca faríamos isso porque sabíamos que isso poderia matar pessoas. Eu me sinto bem com isso ainda hoje”.

A data oficial de soltura de Richard será emitida para ele e sua equipe jurídica pelo Departamento de Correções da Flórida em 16 de novembro, disse o Last Prisoner Project.

Leia também:

Condado do Arizona (EUA) rejeita acusações por maconha após estado aprovar legalização

#PraCegoVer: a imagem em destaque é composta por duas fotos de rosto de Richard DeLisi, uma da época em que foi preso e uma atual. Crédito: Last Prisoner Project.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!