Não ressuscite o beck de pontas

Ilustração mostra uma mão esquerda estendida, cuja palma segura algumas pontas de baseado. Imagem: Papelito.

O cemitério de pontas já faz parte do ritual da galera, mas você sabe por que essa não é uma boa ideia?

Chegar em casa cansado após um dia corrido, tomar banho, sentar no sofá e finalmente bolar um para relaxar, até que… puts, acabou a cota! Quem nunca passou por isso? Em ocasiões como essa, é hábito comum dos maconheiros ressuscitar as pontas velhas do ”cemitério” ou melhor, cinzeiro, para salvar a sessão. Mas será que isso deveria se tornar um hábito?

Cemitério de pontas? E aquele melzinho?

Para quem não conhece, “cemitério” são as pontas velhas acumuladas no cinzeiro com o passar do tempo. A ideia de juntar as pontas para bolar um fino faz parte da cultura do consumo de maconha no Brasil, mas a Papelito vai te explicar por que você deve passar longe dessa brisa errada!

Um dos mitos sobre essa prática é a respeito do melzinho que se forma na ponta do papel. Muitos acreditam que essa meleca pode ser um concentrado de cannabis, como um haxixe, por exemplo, devido à forte onda após ser consumido.

Leia também: Dichavando mitos sobre a ganja

Na realidade, esse ”mel” não tem muitos canabinoides e nem dá onda – muito pelo contrário. Ele está repleto de toxinas (muita delas, cancerígenas) que foram formadas durante o processo de combustão. Ou seja, você está carburando a pior parte do beck! E é claro que a falsa sensação de brisa mais forte é por conta da alta concentração de toxinas que você está mandando direto para o seu corpo. Aí é mals, né?

O que pode rolar e como reduzir os danos?

Muitas toxinas são liberadas durante o processo da queima do beck ou tabaco, podendo causar inflamações, doenças pulmonares, tosse crônica e até câncer. Não faz sentido querer fumar um baseado recheado disso, não é mesmo?

Pra fazer fumaça de forma mais segura, o uso de piteiras e filtros é indispensável! Afinal, quanto maior o espaço entre a boca e o baseado, menos riscos à saúde.

No caso das piteiras, elas são responsáveis por resfriar a fumaça e evitar o contato direto entre toxinas e a boca, evitando ainda que seus dentes e lábios fiquem manchados ao longo do tempo. Por isso, a melhor escolha pra reduzir danos é utilizar piteiras longas e evitar ao máximo reutilizá-las.

Já os filtros são capazes de reduzir em até 50% a quantidade de substâncias tóxicas na fumaça. Aquela velha história sobre o filtro diminuir a brisa do beck é apenas mais um dos mitos que rondam o universo canábico, viu? Uma dica: se puder, utilize piteira e filtro em conjunto. O corpinho agradece!

Tá tudo bem se você recorrer às pontinhas em um momento de escassez total, a ideia é só não fazer disso um hábito e ficar criando aquele cemitério de propósito. Afinal, reduzir danos não é sobre julgar, nem proibir, é sobre encontrar formas de aproveitar a verdinha da maneira mais equilibrada possível para poder curtir os efeitos dela com mais saúde!

Leia também:

Pare de fumar tinta: escolha piteiras de qualidade

Imagem de capa: Papelito.

mm

Sobre Papelito Brasil

Mais que uma marca de papéis para enrolar e acessórios de tabacaria, a Papelito Brasil é também uma referência em redução de danos, qualidade e sustentabilidade. A marca que ajuda a Salvar o Verde desde 2012.
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!