Mercado legal de cannabis no Brasil: como vamos viver essa nova era?

Mudas de cannabis. Fotografia: Vecteezy | Thanakorn Phanthura.

O cultivo indoor é uma alternativa interessante para a regulamentação da maconha, uma vez que os custos para uma produção caseira são baixos. Entenda mais, a seguir

O uso medicinal da cannabis é uma realidade cada vez mais presente no Brasil. Em 2021, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que é dever do Estado fornecer medicamentos que tenham sua importação autorizada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), inclusive os produtos à base de cannabis. Desde então, o mercado de maconha medicinal no país vem crescendo rapidamente.

Existem diferentes modelos de regulamentação da maconha no mundo. Nos Estados Unidos, por exemplo, o modelo predominante é o de dispensários, que são lojas autorizadas a vender produtos à base de maconha. Nos Países Baixos, o modelo é o dos coffeeshops, que são lojas especializadas em maconha para uso adulto.

No Brasil, o modelo de regulamentação ainda está em construção. No entanto, um projeto de lei que prevê a criação de um marco regulatório da cannabis está parado há mais de dois anos na Câmara dos Deputados. A proposta regulamenta o cultivo, pesquisa, produção e comercialização de produtos à base de maconha para fins medicinais e industriais.

O cultivo indoor de cannabis é uma das alternativas que vêm sendo discutidas para a regulamentação da cannabis medicinal no Brasil. O cultivo indoor é realizado em ambientes fechados e controlados, o que permite produzir a variedade de plantas de alta qualidade que o cultivador desejar e com maior eficiência.

Leia também: Como escolher seu LED para o cultivo indoor de cannabis?

Já na América Latina e em alguns países europeus, se desenvolveu também o sistema de clubes ou associações. Neste modelo o paciente que não pode, não sabe ou não quer cultivar sua própria cannabis tem acesso ao produto via uma mensalidade ou taxa de manutenção e pode adquirir um volume estabelecido do medicamento. Desta maneira o associado tem acesso a um tratamento seguro e eficiente sem precisar cultivar, visto que o cultivo é feito pelos clubes ou associações com as devidas licenças para cultivar quantidades maiores.

Para isso é necessário a implementação de estrutura especializada para o cultivo de cannabis, tanto em campos abertos e estufas agrícolas para produção em larga escala quanto para cultivo indoor via iluminação LED em galpões maiores.

O cultivo indoor é uma alternativa interessante para a regulamentação da cannabis por vários motivos. Em primeiro lugar, é uma alternativa financeiramente eficiente. Os custos de produção de cannabis indoor, de forma caseira, são relativamente baixos, o que permite que o produto seja disponibilizado ao paciente com preços acessíveis. Em segundo lugar, o cultivo indoor democratiza o acesso. Qualquer pessoa que tenha um espaço adequado já pode cultivar sua própria cannabis, utilizando equipamentos, insumos e o conhecimento adequado.

A regulamentação da cannabis para fins medicinais é um processo complexo e que ainda está em andamento. No entanto, é um processo que já começou e que está mudando a forma como a maconha é vista no Brasil. O cultivo indoor de cannabis para uso pessoal é uma alternativa interessante para a regulamentação da cannabis medicinal, pois é uma opção financeiramente eficiente e que democratiza o acesso.

Leia também:

Cultivo de cannabis medicinal, legal e autossustentável

Fotografia de capa: Vecteezy | Thanakorn Phanthura.

mm

Sobre Master Plants

A Master Plants é fabricante, importadora e desenvolvedora de soluções em tecnologia e nutrição para cultivos indoor, outdoor e estufas agrícolas. A empresa se destaca no cenário nacional como uma das principais distribuidoras de iluminação LED de alta performance, assim como, "Fertilizantes Premium" para cultivos avançados.
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!