Mercado global de cannabis deve valer US$ 90,4 bilhões até 2026, diz relatório

notas dolares Mercado global de cannabis deve valer US$ 90,4 bilhões até 2026, diz relatório

Crescente conscientização entre os consumidores sobre os benefícios da maconha para a saúde ajudará a impulsionar o mercado

O mercado global de cannabis está previsto para atingir US$ 90,4 bilhões (R$ 473,2 bilhões) até 2026, de acordo com um novo relatório da MarketsandMarkets.

A consultoria aponta uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) de 28% desde 2020, quando o mercado de cannabis foi estimado em US$ 20,8 bilhões (R$ 109 bi).

O segmento de concentrados no mercado de cannabis, por tipo de produto, deve ter a maior CAGR até 2026 devido, principalmente, à grande variedade de diferentes tipos de concentrados, como rosin, shatter, crumble, óleo, dabs e tinturas.

Leia também: Vendas globais de cannabis legal devem atingir R$ 502 bilhões até 2026

Na segmentação por aplicação, o relatório estima que o segmento médico domine o mercado de cannabis diante a crescente lista de países que adotam a maconha medicinal e as várias formas de uso da planta além do fumo, incluindo óleos, soluções tópicas e comestíveis.

O documento destaca ainda que a legalização da cannabis para uso adulto e medicinal em toda a América do Norte impulsiona o mercado na região, além do crescimento nos mercados dos EUA e do Canadá e a crescente conscientização entre os consumidores sobre os benefícios da maconha para a saúde.

A presença de gigantes da cannabis, como Canopy Growth, Aurora Cannabis e Medical Marijuana, segundo o relatório, também estimulará o crescimento do mercado norte-americano.

Outros fatores, como um maior reconhecimento dos benefícios médicos da maconha e a crescente demanda por produtos de cannabis para gerenciamento e tratamento de doenças, também devem impulsionar o crescimento do mercado.

Leia mais: Mercado da maconha supera a gigante do café Starbucks em vendas nos EUA

Além disso, na Alemanha três ministros já autorizaram o processo de regulamentação da cannabis para uso adulto, que pode gerar mais de 4,7 bilhões de euros (R$ 24,8 bilhões) em receita fiscal anual para o país.

Em Israel, o consumo de maconha medicinal cresceu para 43 toneladas no ano passado, de 28,5 toneladas em 2020, segundo o Ministério da Saúde. O mercado médico israelense foi avaliado em cerca de US$ 264 milhões em 2021, de acordo com a Prohibition Partners.

Dados da agência reguladora da Austrália, a TGA (Therapeutic Goods Administration), mostram que as prescrições de cannabis medicinal no país dobraram de 2020 a 2021, com mais de 122.000 prescrições escritas somente no ano passado.

Enquanto isso, Países Baixos e Suíça estão prestes a executar seus testes-piloto de regulamentação da cannabis para uso adulto.

No Brasil, um levantamento da Kaya Mind, empresa de inteligência do mercado canábico, estima que somente o setor médico gerou R$ 130 milhões no ano passado, considerando apenas os produtos importados com autorização da Anvisa.

Uma proposta para permitir o acesso à cannabis legal por turistas foi apresentada recentemente no Parlamento do Uruguai, visando impulsionar o setor de turismo afetado pela pandemia.

Entre 2019 e 2021, as exportações de flores representaram 97% das colocações do setor no país hermano, que se concentraram na Suíça, Israel e Portugal — com sete toneladas de flores exportadas entre janeiro e julho de 2021, de acordo com a Uruguay XXI.

Veja também:

“O poder da maconha”: Japão adota o CBD apesar do tabu da cannabis

#PraTodosVerem: foto mostra várias notas de cem dólares sobrepostas de forma desordenada e preenchendo toda a imagem. Fotografia: Giorgio Trovato | Unsplash.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!