Maioria dos estadunidenses considera a maconha mais segura que cigarro e álcool, revela mais uma pesquisa

A cannabis obteve o nível mais baixo de preocupação com a saúde em comparação com outras substâncias, como cigarro, álcool e nicotina vaporizada, segundo os novos dados da Gallup

Os estadunidenses consideram a maconha menos prejudicial do que o álcool, tabaco, cigarros eletrônicos e outros produtos à base de nicotina, de acordo com a nova pesquisa da Gallup. Enquanto três em cada quatro adultos americanos “estão muito ou um pouco preocupados” com os efeitos que a cannabis tem em jovens e adolescentes, segundo dados de um estudo separado.

A empresa de pesquisa também descobriu que o uso de maconha ultrapassou o uso de cigarros nos EUA, enquanto o uso vaporizado de nicotina ainda está atrás de ambos. “Essas mudanças parecem ser impulsionadas pela mudança de hábitos entre os jovens adultos, que são mais propensos a fumar maconha e usar vapes do que fumar cigarros, e muito menos propensos do que os jovens adultos nas últimas décadas a fumar cigarros”, disse a Gallup.

Para chegar a essas conclusões, a empresa perguntou aos entrevistados o quão prejudicial eles achavam que cada uma de sete substâncias é para as pessoas que as usam, dando a opção de “muito”, “um pouco” ou “não muito / nada” prejudicial.

Quarenta por cento dos participantes responderam que a maconha era “não muito ou nada prejudicial”, enquanto 4% disseram o mesmo do cigarro, 9% dos vapes e 16% do álcool.

Em contrapartida, apenas 23% dos entrevistados marcaram a opção “muito prejudicial” para a maconha, o que se compara com 76% para o cigarro, 54% para vapes e 30% para o álcool.

Leia: Consumo excessivo de álcool entre adolescentes diminui com legalização da maconha

“Mais estadunidenses do que em qualquer momento nas últimas duas décadas dizem agora que beber álcool com moderação é prejudicial à saúde, e três em cada dez consideram o consumo de álcool em geral como ‘muito prejudicial’. As percepções sobre os danos do consumo moderado de álcool tiveram maior crescimento entre os estadunidenses mais jovens. Estas mudanças estão alinhadas com pesquisas recentes globais e dos EUA que desafiam descobertas anteriores que sugerem que o consumo moderado de álcool traz benefícios para a saúde”, disse a Gallup.

A pesquisa foi realizada entre os dias 3 e 27 de julho e envolveu 1.015 adultos estadunidenses, com uma margem de erro de +/- quatro pontos percentuais.

“A maconha obteve o nível mais baixo de preocupação com a saúde em comparação com outras substâncias, mas uma pesquisa separada da Gallup mostrou que três em cada quatro adultos estadunidenses estão muito ou um pouco preocupados com os efeitos que a maconha tem em jovens adultos e adolescentes que a usam regularmente”, afirmou a empresa em sua análise sobre a pesquisa.

Um levantamento separado descobriu que o tabagismo permanece estável perto do mínimo histórico, com 12% dos adultos estadunidenses dizendo que fumaram cigarro na semana anterior. Isso se compara com 11% medidos há um ano, “mas significativamente menor do que em qualquer outro ano na tendência de quase 80 anos da Gallup”.

Leia mais: Cannabis legal leva a redução no uso de tabaco, revela estudo

Além de perguntar sobre o tabagismo, a pesquisa perguntou sobre o vaping e descobriu que o uso de vaporizadores de nicotina é mais comum do que fumar entre os jovens adultos — 18% vs 10%, respectivamente.

“Mas o uso de maconha supera esses dois produtos entre os jovens adultos: desde 2019, uma média de 27% dos jovens de 18 a 29 anos disseram que fumam maconha”, disse a Gallup.

Os dados também revelam que metade dos adultos estadunidenses (50%) afirma já ter experimentado maconha em algum momento, o que representa um novo ponto alto para esse comportamento. “Embora essencialmente inalterado em relação às leituras de 49% e 48% em 2021 e 2022, respectivamente, o novo número é estatisticamente superior aos 45% em 2017 e 2019 que afirmaram ter experimentado maconha”, disse a empresa.

Em resposta a uma pergunta separada, cerca de um em cada seis estadunidenses (17%) diz que “fuma maconha”, o que também é uma nova alta na tendência da Gallup desde 2003, embora semelhante aos 16% registrados um ano atrás.

“O fato de os estadunidenses geralmente verem os cigarros como o mais prejudicial dos três [cigarro, vape e maconha] sugere que os esforços de saúde pública para desencorajar o consumo de cigarros estão sendo bem-sucedidos. Ainda assim, a maioria dos estadunidenses vê o vaping e a maconha como pelo menos um pouco prejudiciais à saúde, e os especialistas em saúde pública que concordam podem querer garantir que os jovens adultos recebam essas mensagens também”, conclui a Gallup em seu relatório.

Dito isso, uma pesquisa da Gallup divulgada em novembro do ano passado revelou que 68% dos estadunidenses concordam que o uso da maconha deve ser legal.

A empresa perguntou pela primeira vez sobre a legalização da maconha em 1969, quando apenas 12% dos entrevistados disseram que eram a favor. O apoio cresceu desde então, chegando a 31% em 2000 e superando a maioria em 2013 — em novembro de 2012, os eleitores em Colorado e Washington aprovaram iniciativas eleitorais que legalizavam o uso adulto da cannabis.

Veja também:

Estadunidenses acreditam que a maconha é mais segura que o álcool e o tabaco

Imagem em destaque: Serhii Shalamov / Vecteezy.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!