A maconha é tão eficaz quanto os opioides no tratamento da neuropatia, sugere estudo

Fotografia mostra uma porção de buds de cannabis secos, em tons de verde e marrom, logo à frente de um baseado enrolado em seda marrom, sobre uma superfície branca e lisa. Foto: Terrance Barksdale / Pexels.

Os pacientes que usaram cannabis com alto teor de THC encontraram um alívio ainda maior da dor neuropática

A maconha oferece alívio para a dor em pacientes com neuropatia tanto quanto os opioides, de acordo com uma nova pesquisa. Os resultados são promissores no sentido de revelar uma alternativa mais segura aos opiáceos, que provocam diversos efeitos colaterais e podem até mesmo levar à morte.

Em todo o mundo, milhões de pessoas sofrem com os sintomas da neuropatia, patologia que abrange um grupo de condições envolvendo danos ao sistema nervoso. Já foram identificados mais de 100 tipos de neuropatia e os sintomas variam dependendo do tipo de nervo danificado. A dor neuropática é uma condição de dor crônica para muitos indivíduos e pode ser causada por uma variedade de fatores.

Leia também: Medicamentos de cannabis proporcionam redução de curto prazo na dor crônica

Uma equipe da NuggMD, empresa estadunidense que conecta pacientes de cannabis a médicos prescritores, conduziu uma pesquisa sobre maconha para neuropatia que envolveu 603 pacientes que usavam a planta para os sintomas da dor neuropática.

A cannabis foi relatada como o principal tratamento para a dor neuropática por 248 pacientes, enquanto 355 disseram usar a cannabis como tratamento secundário. Os participantes tinham entre 18 e 75 anos de idade, sendo que a maioria tinha entre 45 e 64 anos. A pesquisa também mostra que 50,4% dos entrevistados identificaram-se como homens e 48,4% como mulheres.

Os pacientes avaliaram seus níveis de dor em uma escala de 1 a 10 pontos, antes e depois de usar cannabis. O nível médio de dor antes do consumo de maconha foi de 7,64, enquanto o nível médio de dor após o uso da planta foi de 3,44. Isso demonstra “um nível médio de alívio da dor de 4,2 em 10 para os participantes”, apontou o estudo.

A redução média de dor observada quando os indivíduos usaram cannabis é semelhante ao nível de alívio da dor experimentado por pessoas que usam opioides.  Um ensaio clínico randomizado de 2017 descobriu que pacientes com dor aguda nas extremidades relataram uma diminuição da dor de 4,4 pontos com oxicodona e paracetamol, 3,5 com hidrocodona e paracetamol e 3,9 com codeína e paracetamol.

Leia mais: Fibromialgia: pacientes encontram alívio no tratamento oral com THC

Os resultados também revelam que a maioria dos pacientes que relataram o uso inalado de cannabis consumiam produtos com concentração de THC superior a 20%.

Cerca de 70% dos participantes relataram usar maconha in natura, sendo que 58,6% disseram usar flores com mais de 20% de THC, enquanto outros 26% dos entrevistados disseram consumir concentrados de cannabis com mais de 60% do canabinoide. Apenas 4% informaram ter usado produtos não inaláveis (comestíveis).

“De acordo com a nossa pesquisa, a variável mais constante foi o uso de cannabis de alta potência com teor de THC igual ou superior a 20%. É importante observar esta descoberta porque grande parte da pesquisa sobre a eficácia da cannabis para a dor normalmente envolve produtos de cannabis com potência inferior a 20% de THC”, ressaltaram os pesquisadores, observando que os estudos que usam maconha com baixo teor de THC geralmente resultam em alegações de que o canabinoide é ineficaz para o alívio da dor.

A eficácia do THC no combate à dor foi melhor avaliada no estudo da NuggMD. “Os resultados da nossa pesquisa demonstraram que os indivíduos que usam cannabis com alto teor de THC encontraram um alívio da dor mais significativo para sua neuropatia”, escreveram os autores.

Leia mais: Uso vaporizado de maconha com alto teor de THC melhora a qualidade de vida

“Grande parte da investigação sobre a cannabis como tratamento para a neuropatia utiliza cannabis de baixa qualidade com baixos níveis de THC, concentra-se no CBD ou utiliza compostos isolados e produtos de espectro não completo”, afirmaram eles, destacando que os produtos frequentemente utilizados em pesquisa não são representativos do que os pacientes obtêm nos mercados regulamentados.

O estudo revela ainda que a maioria dos pacientes prefere a maconha para o tratamento da dor em detrimento dos opioides.

A pesquisa perguntou aos participantes o que fariam se não tivessem mais acesso à cannabis e 128 indivíduos responderam que não substituíram a maconha por qualquer outro medicamento. Outros 113 pacientes disseram que usariam opioides prescritos e 36 afirmaram que usariam álcool como alternativa, embora o álcool possa ser tóxico para o tecido nervoso.

Os dados indicam que mais de 20% dos pacientes com neuropatia “prefeririam tolerar os sintomas da sua condição do que lidar com os efeitos secundários e a potencial dependência que podem surgir com métodos de tratamento alternativos, como os opiáceos”, assinalaram os autores.

Leia também: Acesso à maconha legal ajuda pacientes a reduzir o uso de drogas opioides

Embora as conclusões da pesquisa demonstrem que o uso de cannabis é promissor no tratamento de condições de dor crônica, como a neuropatia, os pesquisadores alertam que são necessárias mais pesquisas para determinar a segurança e a eficácia.

A pesquisa é consistente com vários estudos que já demonstraram os benefícios da maconha no tratamento de condições dolorosas, incluindo a redução do uso de medicamentos opioides.

Um estudo financiado pelo governo de Nova York, por exemplo, descobriu que os pacientes que usaram cannabis por mais de 30 dias viram o uso diário de opioides diminuir entre 47% e 51%. Em comparação, os pacientes que receberam cannabis por menos de 30 dias reduziram o uso de opioides de 4% a 14%.

Outro estudo, publicado no Rambam Maimonides Medical Journal no ano passado, revelou que o uso fumado de maconha rica em THC mostrou ser uma terapia eficaz e segura para a lombalgia, e ainda que as flores de cannabis fumadas foram mais eficazes para o tratamento do que o uso de extrato sublingual rico em canabidiol.

A possibilidade de substituir os opioides pelo tratamento à base de maconha é de grande relevância para a saúde pública. Enquanto a cannabis tem poucos e leves efeitos colaterais, os medicamentos opiáceos apresentam efeitos adversos graves e podem provocar overdoses fatais.

Veja também:

Pacientes com distúrbios neurológicos apresentam melhora da qualidade de vida após tratamento com cannabis

Foto de capa: Terrance Barksdale / Pexels.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!