Legalização da cannabis leva a um aumento positivo nas matrículas em faculdades, diz estudo

Foto mostra três universitárias, de costas, usando becas azuis e segurando capelos de mesma cor em frente à entrada de uma universidade. Imagem: Leon Wu | Unsplash.

Estados americanos que legalizaram a maconha para uso adulto viram aumentos significativos nas inscrições em cursos universitários

Os pesquisadores descobriram que houve um aumento de quase 15% nas matrículas em faculdades logo após a legalização da maconha para uso adulto em estados dos EUA, sem evidências de uma queda na qualidade dos candidatos.

O impacto foi ainda maior em estados pioneiros como Washington e Colorado, que tiveram um aumento de mais de 25% nas inscrições em faculdades.

Leia também: Universidade de Nevada em Reno oferece passeios gratuitos a campos de cannabis

“Fornecemos evidências de que as políticas estaduais e locais influenciam o conjunto de considerações de inscrição de um indivíduo, mostrando que a disponibilidade de maconha recreativa leva a um aumento positivo no tamanho do pool de inscrições para faculdades”, escreveram os autores, afiliados à Faculdade de Oxford (Universidade Emory) e à Universidade da Carolina do Sul.

No artigo, os pesquisadores destacam que esses efeitos observados são importantes tanto para os administradores das faculdades quanto para os formuladores de políticas para “entender como as políticas públicas permissivas impactam as escolhas de localização das faculdades de indivíduos jovens — decisões que poderiam ter consequências econômicas locais mais longas”.

“Nossas descobertas sugerem que muitos deles [candidatos], independentemente de proezas acadêmicas, consideram a disponibilidade de maconha recreativa desejável”, disseram os pesquisadores, ressaltando que os impactos de políticas de legalização se acumularam principalmente nas primeiras coortes de estados legalizados e, “à medida que mais escolas permitiam que a maconha recreativa estivesse legalmente disponível, esse efeito diminuiu”.

Saiba mais: Legalização da maconha não está vinculada a qualquer aumento no uso por jovens

“Os administradores também podem se preocupar que a legalização da maconha recreativa tenha efeitos negativos na qualidade da coorte admitida. No entanto, não encontramos evidências de que o aumento nas inscrições tenha vindo em grande parte de alunos de baixa qualidade”, disseram os autores, apontando que há evidências limitadas de que a legalização do uso adulto está “associada a uma coorte admitida de alta qualidade”.

O estudo também analisou as taxas de retenção e graduação nas faculdades, e essas pareciam não ser “afetadas” pela legalização da maconha.

“À medida que mais estados legalizam a maconha recreativa e os formuladores de políticas federais consideram o mesmo para toda a nação, nosso trabalho enfatiza o potencial de ganhos positivos para as faculdades que buscam melhorar seus grupos de candidatos, sem evidências de efeitos negativos”, concluíram os autores, advertindo que são necessários mais estudos para entender como as leis de cannabis para uso adulto impactam outros resultados acadêmicos de interesse.

Veja também:

Legalizar a maconha pode beneficiar a saúde pública, dizem pesquisadoras

#PraTodosVerem: foto mostra três universitárias, de costas, usando becas azuis e segurando capelos de mesma cor em frente à entrada de uma universidade. Imagem: Leon Wu | Unsplash.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!