Jovens estão bebendo menos e consumindo mais maconha nos EUA, segundo estudo

Fotografia em plano fechado que mostra um baseado aceso com a ponta voltada para a câmera, os dedos que o seguram e parte do rosto da pessoa, ao fundo desfocado; detalhe para o esmalte preto que aparece no dedo polegar. Maconha.

A pesquisa examinou como a abstinência de álcool e cannabis, o uso concomitante e transtornos por uso mudaram entre jovens de 18 a 22 anos

Um estudo recente publicado na revista JAMA Pediatrics revelou que menos jovens nos EUA estão fazendo uso de bebidas alcoólicas do que há 20 anos, enquanto mais deles estão consumindo maconha.

Entre 2002 e 2018, o número de estudantes universitários na faixa etária de 18 e 22 anos que interromperam o consumo de álcool aumentou de 20% para 28%. Entre os jovens que não estavam frequentando a universidade, o número de abstêmios subiu de 24% para 30%.

O estudo examinou como a abstinência de álcool e cannabis, o uso concomitante e transtornos por uso mudaram entre jovens de 18 a 22 anos em função do status de faculdade. Também analisou o uso e abuso de drogas de prescrição em função do uso de álcool e maconha, de 2015 a 2018.

Leia mais: Em estudo que governo engaveta, álcool preocupa mais que crack

O número jovens universitários abstinentes do uso de maconha caiu de 67,1% para 63,2%, enquanto entre os que não estavam na faculdade houve uma queda de 66,8% para 62,9%. A incidência de transtorno por uso de cannabis aumentou de 6% para 6,1% entre estudantes e diminuiu de 7,5% para 7,1% entre os jovens não estudantes.

Os pesquisadores, liderados por Sean Esteban McCabe, do Centro para o Estudo de Drogas, Álcool, Tabagismo e Saúde da Escola de Enfermagem da Universidade de Michigan, coletaram dados de 182.722 jovens estadunidenses.

“A prevalência de transtorno por uso de álcool em ambos os grupos em 2018 foi cerca de metade do que era em 2002”, disse McCabe em um comunicado da universidade. “Estamos entusiasmados em saber mais sobre essas quedas no consumo de álcool desordenado, já que as consequências relacionadas ao álcool são uma das principais causas de mortalidade e morbidade para adultos jovens”.

Leia mais: O uso de maconha é eficaz na redução de danos, segundo estudos

“Pontos de preocupação que merecem mais atenção são o aumento do uso concomitante de álcool e maconha, pois sabemos que o uso de polissubstâncias pode ter consequências mais negativas e ser mais difíceis de tratar”, disse o coautor do estudo Ty Schepis, professor de psicologia na Universidade Estadual do Texas.

O estudo também descobriu que mais de três quartos dos que fizeram uso abusivo de álcool e maconha relataram o uso de drogas de prescrição e ilícitas no ano anterior, enquanto a maioria relatou uso indevido de drogas prescritas.

As descobertas indicam que o panorama do uso de drogas mudou nos últimos 20 anos, com mais jovens usando ou abusando de várias substâncias diferentes, em oposição a apenas cannabis ou álcool.

Leia também:

Legalização pode levar a mais cannabis e menos álcool nas universidades, revelam estudos

#PraCegoVer: em destaque, fotografia em plano fechado que mostra um baseado aceso com a ponta voltada para a câmera, os dedos que o seguram e parte do rosto da pessoa, ao fundo desfocado; detalhe para o esmalte preto que aparece no dedo polegar. Foto: Luiz Michelini.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!