Maconha hermafrodita: o que é e como lidar?

Plantas hermafroditas podem ser problemáticas, uma vez que seu pólen pode polinizar as flores femininas, resultando na produção de sementes e em uma potencial diminuição da qualidade do produto. Entenda mais sobre o que leva ao hermafroditismo e como lidar com esse problema em seu cultivo de cannabis com as Girls in Green

Para quem usa sementes regulares, lá pela oitava semana começa aquela ansiedade: com a flora, chega também a época de descobrir qual o sexo das suas plantas. Esse processo é extremamente importante, já que, no nosso cultivo, se queremos flores, precisamos nos certificar de que não há nenhum macho por perto. Mas você também precisa prestar atenção em outro fenômeno — a maconha hermafrodita.

A maconha hermafrodita é um problema relativamente raro, mas é bem provável que você vá se deparar com ele em algum momento do seu cultivo. Por isso, entender suas causas e o que você pode fazer para lidar com ele é essencial. Afinal, ninguém quer uma plantinha causando estrago no rolê inteiro, causando perdas de rendimento, tempo e dinheiro.

Pensando em ajudar você nessa missão, reunimos todas as nossas experiências e muita informação sobre maconha hermafrodita aqui nesse artigo. Vamos explicar o que sabemos sobre os motivos por trás do hermafroditismo e o que você pode fazer com as plantinhas que apresentarem essa característica.

O que é a maconha hermafrodita?

As plantas de maconha são dioicas, o que significa que existem plantas macho e fêmea separadas. As plantas fêmeas são as que produzem as flores que contêm os canabinoides desejados e que nós tanto amamos. Enquanto isso, as plantas macho produzem flores com sacos de pólen e são mais interessantes para quem quer fazer cruzamentos e gerar novas genéticas!

Aqui, a gente já explicou como identificar o sexo das plantas no cultivo de maconha.

No entanto, em certas condições, as plantas de maconha podem desenvolver características hermafroditas. Isso significa que elas têm órgãos reprodutivos masculinos (estames) e femininos (pistilos) na mesma planta.

As plantas hermafroditas podem ser problemáticas para os cultivadores pelo mesmo motivo que os machos. Isso por que o seu pólen pode polinizar as flores femininas, resultando na produção de sementes indesejadas e em uma potencial diminuição da qualidade do produto. Ou seja: vai prejudicar seu rendimento no final de tudo.

Leia também: Planta mãe no cultivo de maconha: entenda mais sobre ela

Quais as causas do hermafroditismo na maconha?

maconha hermafrodita

Maconha hermafrodita no início da flora. Imagem: Girls in Green.

Normalmente, existem duas causas principais para a maconha virar hermafrodita: a genética e o estresse ambiental.

Do ponto de vista genético, algumas variedades de maconha são mais propensas ao hermafroditismo do que outras. Isso pode ser atribuído à composição genética da linhagem. Por exemplo, as sativas tailandesas costumam apresentar uma alta incidência de plantas hermafroditas. Além disso, a técnica utilizada na produção de sementes, como o uso de reguladores de crescimento, também pode influenciar a predisposição ao hermafroditismo.

Mas, independentemente da genética, uma planta de maconha também pode desenvolver a característica devido ao estresse. Quando uma planta percebe condições adversas, o hermafroditismo surge como uma solução natural para acelerar o processo de reprodução. Nesse caso, a planta poliniza suas próprias flores femininas com o pólen de algumas de suas próprias flores masculinas, frequentemente chamadas de “bananas”.

O estresse, que aumenta significativamente o risco de hermafroditismo, pode ter várias origens, tais como:

  • alterações no fotoperíodo, especialmente interrupções no período de escuridão durante a fase de floração;
  • excesso de temperatura, geralmente acima de 27 °C, e condições ambientais desfavoráveis;
  • atraso na colheita, quando o cultivador ultrapassa o prazo ideal para a colheita das plantas;
  • estresse mecânico, como galhos quebrados, raízes danificadas ou podas realizadas durante a floração;
  • problemas de irrigação, seja devido à falta ou ao excesso de água;
  • overfert, na qual as plantas recebem nutrientes em excesso;
  • infestações de insetos, ácaros ou doenças que afetam negativamente a planta;
  • estresse térmico, que pode ocorrer ao irrigar as plantas com água fria demais;
  • uso de produtos fitotóxicos, como pesticidas e fungicidas.

Leia mais: Flush na maconha: o que é e será que funciona?

Como evitar plantas de maconha hermafroditas?

Separamos algumas dicas para quem deseja evitar esse problema em seus cultivos. Então, anote aí!

Sem estresse

Para evitar que as suas plantinhas desenvolvam características hermafroditas, a regra principal é minimizar ao máximo qualquer forma de estresse durante o período de floração. Deixe ela bem relax. Mantenha seu calendário de podas de plantas durante a fase vegetativa e de pré-floração, antes que os buds floresçam.

Bons cuidados

Além disso, é fundamental manter condições ambientais ideais no espaço de cultivo. Garanta uma higiene impecável, inspecione as plantas em busca de insetos e ácaros, e forneça uma dieta equilibrada. No final da fase de floração, é essencial examinar minuciosamente os tricomas para não perder o momento da colheita.

Genéticas certas

Quando estiver escolhendo quais variedades de maconha cultivar, leia atentamente os comentários de outros cultivadores sobre as cepas escolhidas. Além disso, considere os conselhos e recomendações dos bancos de sementes, pois isso fornecerá informações abrangentes sobre as sementes e ajudará a evitar variedades com traços hermafroditas em sua genética.

É importante observar que sementes de maconha regulares são geralmente menos suscetíveis ao hermafroditismo em comparação com as sementes feminizadas. No entanto, é uma prática recomendada verificar com cuidado a presença de flores masculinas, independentemente do tipo de semente em cultivo.

O que fazer com uma planta de maconha hermafrodita?

Geralmente, cortar sua planta hermafrodita e a melhor escolha. Foto: Girls in Green.

Como mencionamos anteriormente, é sempre fundamental verificar de perto as plantas em busca de machos desde o início da fase de floração. Durante esse período, as flores masculinas se destacam facilmente devido à sua coloração amarela e à forma que lembra uma banana.

Caso uma planta apresente tanto flores masculinas quanto femininas desde o início da floração, infelizmente, o melhor a se fazer é removê-la do espaço de cultivo. Isso é essencial para evitar a polinização de toda a colheita e a transmissão da característica hermafrodita para a prole.

Já quando uma planta se torna hermafrodita durante a fase de floração completa, temos duas alternativas:

  • se a planta produz apenas algumas flores masculinas, podemos retirá-las com cuidado usando uma pinça esterilizada com álcool, pulverizando água sobre elas (a água tem o efeito de esterilizar o pólen) e, em seguida, monitorando a planta em busca do aparecimento de novas “bananas”;
  • se a planta produz uma quantidade considerável de flores masculinas, é aconselhável retirá-la do espaço de cultivo.

Por fim, se uma planta de maconha se tornar hermafrodita no final da fase de floração, o passo a seguir é a colheita imediata, antes que as flores masculinas liberem seu pólen.

E mais…

Você ainda pode fumar uma flor hermafrodita. Tecnicamente, nada impede que você faça isso! No entanto, a gente não recomenda a experiência. Elas não são gostosas e os efeitos também não são de qualidade. Foque nas fêmeas!

Também não recomendamos usar as sementes geradas por hermafroditas. Por conta da genética, muitos afirmam que a característica passa adiante. Existe um estudo que afirma o contrário: nele, as plantas de sementes provenientes de hermafroditas se mostraram completamente femininas. No entanto, a gente recomenda evitar — pelo menos enquanto não temos evidências mais concretas.

E aí, curtiu essas informações? Para saber mais sobre cultivo, maconha, haxixe e muito mais, não esqueça de nos seguir no Instagram @girlsingreen710.

Leia também:

Maconha fresh frozen: o que é e por que usar

Imagem em destaque: Girls in Green.

mm

Sobre Girls in Green

O Girls in Green é um projeto feito por mulheres canábicas, focado na produção e disseminação de conteúdo digital acessível, livre de julgamentos e tabus, abordando temas como maconha, uso de drogas, cultivo, haxixe e política - sempre sob a ótica da Redução de Danos. O principal objetivo do canal é combater o estigma e a desinformação resultantes da Guerra às Drogas.
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!