Frente parlamentar promove debate e exposição sobre cânhamo na Assembleia de São Paulo

Foto da exposição sobre cânhamo do Instituto InformaCann.

Primeira audiência do colegiado deste ano se debruça sobre os usos industriais da cannabis

A Frente Parlamentar da Cannabis Medicinal e do Cânhamo Industrial de São Paulo inicia os trabalhos em 2024 de forma inovadora para fomentar a discussão sobre os usos industriais da maconha. Em sua primeira audiência pública do ano, o grupo promoverá um debate técnico sobre o potencial econômico da planta e uma exposição, inédita na Assembleia Legislativa do Estado (Alesp), sobre as suas várias aplicações.

Com o tema “O potencial econômico e sustentável do cânhamo no Brasil”, a audiência está marcada para o dia 27 de março, a partir das 10 horas, e busca debater as variedades de cannabis com baixo teor de THC (tetraidrocanabinol). Estas plantas, também conhecidas como “cânhamo industrial”, são mais fibrosas e podem revolucionar o setor agrícola, uma vez que podem servir de matéria-prima para milhares de produtos, de tecidos e materiais de construção a alimentos e medicamentos.

O debate contará com a presença de especialistas convidados, como o químico industrial e pesquisador Ubiracir Fernandes, a farmacêutica e CEO da DNA Soluções, Kiara Cardoso, e a publicitária e CEO da Queen Co, Renata Lima.

Leia também: Cannabis Indica, Sativa, Híbrida e Ruderalis: quais as diferenças?

A exposição “Cânhamo: uma revolução agrícola não psicoativa” abre suas portas ao público logo após a audiência, a partir das 12 horas. Uma iniciativa do Instituto InformaCann, a mostra reúne informações e vários produtos fabricados com as sementes e fibras da cannabis, como roupas, cosméticos, plásticos, materiais de construção, alimentos e remédios.

Segundo o deputado Caio França (PSB), coordenador da Frente Parlamentar da Cannabis Medicinal e do Cânhamo Industrial, o estado de São Paulo pode assumir o protagonismo na introdução do cânhamo na matriz agroindustrial brasileira, contribuindo para o crescimento econômico, geração de empregos e sustentabilidade ambiental.

Um relatório da consultoria Kaya Mind estima que, em um cenário de regulamentação que incluísse os usos medicinal, industrial e adulto, a indústria da cannabis poderia gerar 328 mil empregos formais e informais no país e adicionar R$ 26,1 bilhões à economia brasileira.

Autor da lei que instituiu a política estadual de distribuição de medicamentos à base de cannabis na rede pública de saúde de São Paulo, França defende que o estado lidere a discussão sobre o uso industrial da planta. “Por isso começamos os trabalhos da frente nos aprofundando neste tema por meio de um debate qualificado e uma mostra que reúne produtos extraídos do cânhamo, A exposição sobre cânhamo ajuda a tangibilizar o debate técnico”, afirmou o parlamentar em nota da Alesp.

Serviço

Audiência Pública “O potencial econômico e sustentável do cânhamo no Brasil”
Quando: 27 de março, às 10h
Onde: Auditório Teotônio Vilela da Alesp

Exposição “Cânhamo: uma revolução agrícola não psicoativa”
Quando: 27 de março (a partir das 12 horas) a 5 de abril
Onde: Espaço Heróis de 32 da Alesp

Leia também:

Frente parlamentar destina mais de R$ 700 mil a projetos ligados à cannabis em São Paulo

Imagem de capa: Divulgação.

mm

Sobre Smoke Buddies

A Smoke Buddies é a sua referência sobre maconha no Brasil e no mundo. Aperte e fique por dentro do que acontece no Mundo da Maconha. http://www.smokebuddies.com.br
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!