Finlândia: maioria da população é favorável à descriminalização da maconha

Foto mostra um baseado cônico com piteira em pé sobre uma superfície amarela lisa, que delimita o fundo da imagem, de cor azul-claro, em uma linha reta horizontal. Fotografia: Nick Harsell | Unsplash. Finlandia

Pela primeira vez nos 30 anos em que a pesquisa é conduzida na Finlândia, mais pessoas disseram achar que usar maconha regularmente não é tão arriscado quanto beber em excesso semanalmente

As atitudes negativas em relação às drogas parecem estar mudando na Finlândia, de acordo com uma pesquisa do Institute for Health and Welfare (THL). A pesquisa, realizada no outono passado, constatou um número crescente de pessoas que admitem ter experimentado ou usado algum tipo de droga ilícita e que a maioria da população (53%) é favorável à descriminalização da maconha.

Quase 30 por cento dos adultos na Finlândia admitiram ter experimentado drogas em algum momento de suas vidas, mais comumente maconha. A proporção de pessoas que disseram ter experimentado cannabis aumentou cinco vezes ao longo de três décadas – de 6% em 1992 para 29% em 2022, de acordo com o THL.

As percepções sobre o risco de usar cannabis também diminuíram. Cerca de 57% dos entrevistados disseram que achavam que experimentar cannabis uma ou duas vezes traz apenas riscos menores à saúde. Enquanto isso, 20% dos participantes da pesquisa disseram que sentiam o mesmo sobre o uso regular de cannabis.

Leia também: Maioria dos eleitores nos EUA apoia a legalização da maconha e políticas de equidade social

Pela primeira vez na história da pesquisa de atitude em relação às drogas, mais pessoas disseram que acham que o risco do uso regular de maconha é menor do que o consumo excessivo de álcool semanalmente. A pesquisa também constatou que 29% dos entrevistados disseram que estariam preparados para descriminalizar todo o uso de drogas, nove pontos percentuais a mais do que disseram o mesmo em 2018.

“As opiniões sobre a criminalidade em torno do uso de drogas estão claramente mudando”, disse Pekka Hakkarainen, professor de pesquisa da THL, ao jornal finlandês Yle.

Ele acrescentou que, como em outros países, as pessoas na Finlândia pensam cada vez mais que as questões do uso de drogas devem ser abordadas por provedores sociais e de saúde.

Como em vários países da UE e dos EUA, por exemplo, as atitudes negativas na Finlândia sobre a cannabis parecem estar diminuindo.

A pesquisa também descobriu que 24% dos entrevistados achavam que a cannabis deveria estar legalmente disponível para qualquer uso, enquanto 56% eram a favor do uso medicinal da cannabis. Na pesquisa de 2018, essas proporções eram de 18 e 54%, respectivamente.

Houve também um aumento na proporção de pessoas que apoiaram a ideia de oferecer aos viciados instalações para uso monitorado de drogas como forma de prevenir overdoses fatais. A pesquisa do outono passado encontrou 65% dos entrevistados a favor de quartos para usuários de drogas, enquanto em 2018 a proporção era de 50%.

A THL realiza regularmente uma pesquisa sobre drogas por correio a cada quatro anos desde 1992. Desta vez, 3.857 pessoas entre 15 e 69 anos participaram.

Leia também:

Zurique, na Suíça, estuda os efeitos da legalização do uso adulto de maconha

Fotografia de capa: Nick Harsell | Unsplash.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!