Opinião pública nos EUA diz que maconha é menos perigosa que o álcool

Foto que mostra as mãos e parte do cabelo de uma mulher que está acendendo um baseado (cigarro de maconha) e uma taça de vinho ao fundo, na parte esquerda do quadro; detalhe para as unhas vermelhas. Foto: Alex Mihai | Unsplash.

Estudo confirma tendência observada em uma série de pesquisas de que a percepção pública dos riscos do uso de cannabis está mudando

A maioria dos estadunidenses acredita que a maconha é menos perigosa que o álcool, de acordo com uma nova pesquisa. E dois em cada três apoiam a legalização da cannabis, bem como a decisão do presidente Joe Biden de conceder um perdão em massa a todas as pessoas condenadas por simples porte sob a lei federal.

O estudo, publicado nessa semana pela Universidade de Monmouth, descobriu que uma maioria de 54% dos adultos nos EUA acredita que o uso de álcool é mais perigoso do que a cannabis, enquanto uma pluralidade de 45% diz que o tabaco é mais perigoso que a maconha.

Leia também: Receita tributária da maconha ultrapassa álcool e tabaco no Colorado e em Washington

Pouco menos de 4 em cada 10 estadunidenses acham que o uso de cannabis é tão perigoso quanto o uso de qualquer uma das outras substâncias — 38% para álcool e 38% para tabaco.

Esses resultados são condizentes com uma pesquisa divulgada no início do ano pela YouGov, onde mais pessoas disseram que seria bom se os indivíduos usassem mais maconha e bebessem menos álcool do que afirmaram que a substituição da droga seria ruim.

Dados divulgados recentemente pela Gallup mostram que o uso de cannabis atingiu um novo recorde nos EUA, se tornando mais popular que o tabaco — pela primeira vez, mais estadunidenses disseram à pesquisa que fumam maconha do que relataram fumar tabaco.

Além disso, mais da metade (53%) dos americanos acredita que a cannabis tem um efeito positivo em seus consumidores, enquanto 29% dizem o mesmo sobre o álcool, descobriu a Gallup.

Um estudo recente no Journal of Adolescent Health revelou que a legalização da cannabis para uso adulto está associada à diminuição do consumo de álcool, tabaco e analgésicos entre adultos jovens.

Leia mais: Estudo analisa associação entre aumento do uso de álcool e maconha e qualidade de vida durante a pandemia

“Pesquisas de várias fontes mostram que o apoio à legalização da maconha tem aumentado consistentemente nos últimos vinte anos. A ação de Biden está de acordo com a opinião da grande maioria dos americanos sobre essa questão”, disse Patrick Murray, diretor do Instituto de Pesquisa da Universidade de Monmouth.

A pesquisa da Monmouth descobriu ainda que 68% do público americano apoia a legalização do porte de pequenas quantidades de maconha e que 69% aprova os indultos para indivíduos condenados por acusações federais de simples porte de cannabis, anunciados no início do mês pelo presidente Biden.

Isso confirma uma tendência observada em uma série de pesquisas de que a percepção pública dos riscos do uso de cannabis está mudando, à medida que mais pessoas apoiam a legalização da maconha.

Uma pesquisa da Morning Consult/Politico divulgada no início do mês descobriu que 60% dos eleitores estadunidenses acreditam que a cannabis deveria ser legalizada federalmente, e que 27% preferem que continue proibida.

Leia mais: Biden deveria legalizar a cocaína para combater o tráfico de drogas, defende The Economist

Embora haja amplo apoio aos perdões de Biden, poucos entrevistados sabiam quantos indultos foram realmente concedidos. Um quarto dos entrevistados (25%) disse que eram 1.000 pessoas ou menos, 26 por cento apontaram entre 1.000 e 10.000, 14 por cento disseram 10.000-100.000 e sete por cento disseram que era mais de 100.000 — 29% disseram não ter resposta.

Um relatório da Comissão de Sentenças dos EUA aponta que mais de 6.500 condenações federais por posse simples de cannabis foram perdoadas.

O novo estudo também perguntou sobre o impacto de legalizar a cannabis, e viu 54% dizendo que a mudança de política não teria efeito sobre outros crimes relacionados a drogas, enquanto 25% disseram que esses delitos aumentariam e 16% que diminuiriam.

Ao mesmo tempo, 43% disseram que o uso de maconha “não é realmente um problema” no país, enquanto 24% disseram que “não é muito sério”, 16% disseram que é “moderadamente sério” e 15% disseram que é “muito sério”.

Em relação à experiência pessoal com a cannabis, mais da metade (54%) dos adultos americanos relataram já ter experimentado a planta. As pessoas que já consumiram maconha (86%) são mais favoráveis à sua legalização do que aqueles que nunca experimentaram (47%).

A pesquisa da Universidade de Monmouth foi realizada de 13 a 17 de outubro com uma amostra aleatória nacional de 808 estadunidenses adultos. A margem de erro de +/- 5,2 pontos percentuais.

Leia também:

Gigante do tabaco investe em empresa de cannabis alemã

#PraTodosVerem: foto mostra as mãos, com unhas vermelhas, e parte do cabelo de uma mulher que está acendendo um baseado, e uma taça de vinho, ao fundo. Imagem: Alex Mihai | Unsplash.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!