Consumidores de maconha dos EUA apoiam a remoção de registros criminais

Foto em plano fechado e vista superior que mostra a flor de um pé de maconha, com pistilos marrons, e, ao fundo, diversas folhas da planta que preenchem a imagem. Foto: Pexels. Empreender

Pesquisa recente constatou que a maioria dos consumidores de cannabis apoia a reforma da justiça criminal em todo os EUA. As informações são da Green Entrepreneur, traduzidas pela Smoke Buddies

Uma pesquisa recente descobriu que 76% das pessoas que consomem cannabis nos EUA acreditam que os registros de pessoas com condenações passadas por crimes relacionados à maconha devem ser eliminados.

A maior pesquisa desse tipo realizada pela Oasis Intelligence analisou 20.000 consumidores de cannabis de todos os 50 estados dos EUA, além de Washington DC.

Leia mais: Nevada (EUA) propõe anistia para condenados por porte de maconha

A quantidade de pessoas que apoiam a reforma da justiça criminal de cannabis está aumentando. A porcentagem aumentou mais de 13% em relação ao ano passado. Uma pesquisa de 2019 realizada pela Universidade Quinnipiac, relatada pela primeira vez pelo Marijuana Moment, descobriu que 63% dos usuários de cannabis achavam que aqueles que estavam na cadeia por crimes de drogas de baixo nível deveriam ser libertados.

74% das pessoas na pesquisa da Oasis disseram que “apoiam o reinvestimento de recursos e capital das vendas de Cannabis em comunidades carentes”. Além disso, 68% disse apoiar os programas de Equidade Social que “tornam a propriedade das empresas de cannabis mais acessível para os mais impactados pela aplicação da política de drogas”.

A pesquisa foi realizada no período de setembro a dezembro de 2019. Seu objetivo era apresentar uma amostra diversificada e representativa dos Estados Unidos, incluindo aproximadamente um número igual de mulheres e homens, com idades entre 18 e 65 anos. A Oasis Intelligence disse que essa pesquisa faz parte de sua missão de descobrir uma ampla gama de preferências e atitudes em relação à cannabis, incluindo questões sociais e legais.

Leia mais: Como responsabilizar empresas de cannabis por diversidade e compromisso social

De acordo com dados da Drug Policy Alliance, 663.367 pessoas foram presas por cannabis em 2018: delas, 92% foram acusadas de porte de drogas. Os negros e latinos foram desproporcionalmente atingidos e representaram 46,9% dos encarcerados, apesar de representar apenas 31,5% da população.

Algumas empresas de cannabis decidiram começar a corrigir essas injustiças maciças na cannabis. O Last Prisoner Project é uma organização sem fins lucrativos dedicada à justiça restaurativa na indústria da cannabis. Ela está pressionando pela libertação de 40.000 prisioneiros de cannabis atualmente encarcerados nos EUA. Uma nova marca de cannabis vendida na Califórnia, chamada Farmer and the Felon, doa uma parte de suas receitas a esse esforço.

Nas últimas duas semanas, uma coalizão de 21 empresas de cannabis dedicou fundos e esforços comprometidos em andamento à comunidade negra em um grupo chamado Cannabis For Black Lives. Uma empresa fundadora, a Garden Society, disse no Instagram: “Doamos coletivamente mais de US$ 120.000 esta semana através de  vários fundos, incluindo o National Bail Fund, BLM e M4BL”.

Leia também:

Ex-NBA Al Harrington quer tornar 100 negros milionários através do negócio de cannabis

#PraCegoVer: em destaque, foto em plano fechado e vista superior que mostra a flor de um pé de maconha, com pistilos marrons, e, ao fundo, diversas folhas da planta que preenchem a imagem. Foto: Pexels.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!