Estrela da WWE, Liv Morgan é presa na Flórida por posse de maconha

Liv Morgan. Foto: WWE.

O uso adulto de cannabis ainda é proibido no estado com penas de prisão e multa para o porte de qualquer quantidade

A famosa estrela da WWE Liv Morgan foi presa por porte de maconha na noite de quinta-feira, na Flórida (EUA), após uma parada de trânsito.

De acordo com o Villages-News, a prisão ocorreu quando um delegado do xerife do condado de Sumter percebeu que o jipe que Morgan dirigia cruzava as linhas branca e amarela da estrada municipal. Segundo o relatório da prisão, o policial sentiu cheiro de cannabis quando se aproximou do veículo.

Um pequeno saco plástico contendo cannabis (20 gramas ou menos) e uma caneta vaporizadora com óleo de maconha foram encontrados no console do jipe, segundo a rede de notícias.

Leia também: O uso de cannabis aumenta a “alta do corredor” durante o exercício

Liv Morgan, de nome real Gionna Daddio, já foi dona do título do campeonato feminino de SmackDown e duas vezes campeã feminina de duplas da WWE com Raquel Rodriguez. A lutadora está afastada dos ringues desde julho por conta de uma lesão.

Morgan foi presa sob a acusação de porte de canabinoide sintético e porte de maconha. Ela foi autuada no Centro de Detenção do Condado de Sumter e liberada algumas horas depois após pagar um fiança de US$ 3.000 (R$ 14.800).

Embora o uso medicinal da cannabis seja legal na Flórida desde 2016, quando uma iniciativa de emenda constitucional foi aprovada pelos eleitores, o uso adulto ainda é proibido com penas de prisão e multa para o porte de qualquer quantidade.

Os comentários da WWE sobre o caso consideram a política de drogas da empresa. A política proíbe o “uso não médico” de medicamentos prescritos e drogas para melhorar o desempenho, bem como o uso ou posse de substâncias ilegais, e estabelece uma multa de US$ 2.500 para o atleta que for testado positivo para cannabis.

Leia mais: Campeão sul-americano do salto em altura, Fernando Ferreira é punido por doping

Segundo Sean Ross Sapp, não haverá repercussões para as ações de Morgan na WWE em razão do incidente com maconha.

Lutadores da WWE disseram ao Fightful que não são demitidos por uso de cannabis há anos, indicando uma mudança progressiva da política de maconha da empresa. Segundo o portal, os atletas com teste positivo para cannabis já não não vinham mais sofrendo suspensão e, atualmente, nem mesmo a multa está sendo aplicada.

Enquanto isso, a WADA (Agência Mundial Antidoping) mantém a maconha em sua lista de substâncias proibidas. A agência afirma que o THC é proibido apenas em competição e que o alto nível da substância necessário para desencadear um teste positivo é “consistente com um atleta significativamente prejudicado ou um usuário frequente”.

A NBA, por sua vez, formalizou um acordo com a Associação Nacional de Jogadores de Basquete, segundo o qual não há mais testes para maconha nos jogadores. O acordo assinado em abril ratifica a prática adotada desde 2020 pela liga.

Leia também:

Mais de dez por cento dos idosos nos EUA usam maconha, segundo estudo

Imagem de capa: WWE.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!