Especial eleições verdes 2016 – matéria #3

Neste domingo, 2 de outubro, os brasileiros vão às urnas para votar nas eleições municipais. O Smoke Buddies encerra a série de reportagens “Eleições Verdes 2016” contando um pouco como os candidatos a vereador que apoiam a legalização podem fazer além de trazer o debate da erva para as Câmaras Municipais.

As eleições 2016 serão marcadas pelo histórico número 15, referente aos 15 candidatos “verdes” que com coragem demonstram apoio a legalização da cannabis. Porém, nossa maior dúvida é? Será que é relevante inserir a maconha nas propostas de candidaturas para vereador nessas eleições? Muitos consideram zero essa relevância, o Smoke Buddies acredita que sim, mudanças consideráveis à sociedade podem acontecer trazendo a cannabis para dentro das políticas públicas em seu município. Em nossa conversa com os candidatos “verdes”, grande parte dos projetos de política pública apresentados por eles passam por algumas questões da sociedade e do município, como saúde, segurança e geração de empregos.

Segurança Urbana

Quesito de maior atenção por grande parte dos candidatos “verdes”, a segurança urbana está ligada diretamente com a proibição da cannabis. Na cidade de Curitiba, por exemplo, Mauro Leno (PSOL/PR), conta que  a Guarda Municipal “…está um mini BOPE com caminhonete, com fuzil pela janela combatendo o narcotráfico e dando dura em jovem na periferia”. Mauro nos relatou que um de seus projetos é melhorar a formação dos guardas, sugerindo matérias como direitos humanos e sociologia, além de retomar a função legal da guarda que é cuidar, por exemplo, de escolas e parques municipais evitando a militarização da guarda.

gm-curitiba

Guarda Civil Municipal de Curitiba reunida na recepção de pistolas calibre 380.

Fernando da Silva, o Profeta Verde (PSOL/SP) e Linna Ramos (PSOL/BA), possuem uma proposta em comum: a criação de um “observatório das drogas”. Linna explica que é necessário que sejam denunciados os abusos policiais para poder diminuir o crescente encarceramento de mulheres por uso de drogas e assim permitir uma melhor atuação na segurança pública da cidade. Fernando, além de também apoiar uma nova formação profissional dos GCMs em São Paulo orientando os guardas que o usuário também tem direitos e que não adianta prendê-los, avalia que este observatório “…cria mecanismos de pressionar o governo a mudar a postura com relação aos usuários”

Empregos e economia 

Em abril de 2016, a consultoria legislativa brasileira da câmara dos deputados publicou um estudo ilustrando o impacto econômico da legalização da cannabis no país. Porém, já há um considerável impacto econômico do consumo de produtos legais da chamada cultura canábica acontecendo nesse exato momento no Brasil.

Assista o vídeo e conheça mais sobre esse mercado legalizado da maconha no Brasil:

A geração de impostos e empregos através desse mercado de produtos pode ser fortalecida por propostas de alguns do candidatos “verdes”. Mauro Leno (PSOL/PR) nos contou que uma das possibilidades de fomentar esse mercado é a criação de uma incubadora de empresas para negócios da cannabis. “…a primeira incubadora de star-ups de cannabis” – definiu Mauro. A proposta visa não só auxiliar administrativamente essas empresas como também garantir o futuro do mercado nacional, “segurando” a chegada de empresas estrangeiras numa futura legalização da cannabis. Para o candidato Fernando da Silva, o Profeta Verde, o relacionamento e integração de profissionais e assim “…criar o fortalecimento da economia canábica que é: maconheiro contratar maconheiro, um portal de serviços de maconheiro…”

Leia mais do “Especial Eleições Verdes 2016” acessando nossas duas primeiras matérias:

“Aceitação política e eleitorado”

“Descriminalização e o vereador”

Arte de capa: Lucas Tavares/redação Smoke Buddies.

Sobre Leo Sativa

Produtor de conteúdo cannábico e fumador da @DjascoLibre - sativaleo@gmail.com
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!