Doutora responde: “Qual a melhor via de administração da cannabis para pacientes com Aids?”

Fotografia mostra as mãos de uma pessoa que, usando luvas lilases e roupa branca, segura um frasco transparente contendo óleo amarelo e com tampa preta e um ramo de cannabis. Imagem: Vecteezy | Tinnakorn Jorruang.

Em sua coluna, a Dra. Amanda Medeiros responde às principais dúvidas de leitores da Smoke Buddies sobre cannabis e saúde

Médica prescritora com certificação internacional em medicina canabinoide e experiência prática em clínica geral integrativa, a doutora Amanda Medeiros compartilha seu conhecimento sobre questões ligadas à saúde em que a cannabis pode funcionar como ferramenta terapêutica.

Veja também: Doutora responde: a herpes-zóster pode ser tratada com cannabis?

Mas, atenção: a informação compartilhada NÃO é uma orientação médica para todos os casos semelhantes — se você se identifica com a situação, consulte um médico sobre sua condição.

Tem alguma dúvida relacionada a cannabis e saúde? Escreva para redacao@smokebuddies.com.br e envie sua pergunta para a Dra. Amanda.

Saiba mais: Doutora responde: a cannabis pode ser usada no tratamento de gastrite?

“Qual a melhor via de administração da cannabis para pacientes com Aids?”

A via de administração da cannabis pode ser sublingual em formato de óleo, oral em formato de goma, através de creme para uso tópico ou até mesmo o uso vaporizado. É uma pena que a Anvisa barrou em setembro desse ano o uso vaporizado, mas poderíamos também ter essa opção.

O que vai nos dizer qual é a melhor via de administração é a sintomatologia, ou seja, os sintomas que o paciente com HIV positivo está apresentando. Se ele estiver com dor, a goma de THC seria uma boa opção, pois, embora demore mais para fazer efeito, o uso oral age por um tempo mais longo no organismo. Já se o paciente estiver com feridas ou descamação na pele, por exemplo, o uso tópico poderia ser indicado.

Assim, a via de administração vai depender dos sintomas apresentados pelo paciente. O uso vaporizado da cannabis também tem muitos efeitos terapêuticos, principalmente os efeitos rápidos, mas atualmente não é possível essa prescrição, devido à proibição imposta pela Anvisa à importação de flores.

Leia também:

Doutora responde: quais os benefícios da cannabis para pessoas com HIV?

Imagem de capa: Vecteezy | Tinnakorn Jorruang.

mm

Sobre Dra Amanda Medeiros Dias

Médica, pós graduada em pediatria e nutrologia pediátrica, cursando psiquiatria infantil pelo CBI of Miami e com certificação internacional em medicina endocanabinoide pela Green Flower, na Califórnia (EUA). Tem experiência na prática em clínica geral integrativa com crianças e adultos, com visão holística, olhando o paciente como um todo. Além de prescritora, é paciente de cannabis medicinal desde 2018. Diretora técnica no Instituto Coração Valente, médica da Clínica Gravital e voluntária em projetos da UNA (Unidos pela Amazônia). CRM - 39.234 PR
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!