Doutora responde: a cannabis é recomendada para cuidados paliativos em idosos?

Foto, em vista superior, de uma planta de cannabis em início de crescimento, onde duas pequenas folhas de três pontas são vistas no topo, em fundo cinza-claro. Imagem: Jirapong Pnngjiam / Pixabay.

Em sua coluna semanal, a Dra. Amanda Medeiros responde às principais dúvidas de leitores da Smoke Buddies sobre cannabis e saúde

A cannabis é recomendada para cuidados paliativos em idosos? Em que casos não se recomenda o uso terapêutico da cannabis? O CBD pode ser usado com medicamentos metabolizados pelo fígado? Confira, a seguir, as respostas da doutora Amanda Medeiros, médica prescritora com certificação internacional em medicina canabinoide e experiência prática em clínica geral integrativa.

Leia também: A herpes-zóster pode ser tratada com canabinoides?

A cannabis é recomendada para cuidados paliativos em idosos?

Sim, a cannabis medicinal é recomendada para tratamentos paliativos em idosos. Os canabinoides podem reduzir dores, melhorar o apetite, ajustar o sono e melhorar a qualidade de vida de pacientes em geral. Para casos específicos que acometem os idosos, como mal de Alzheimer e Parkinson, também é indicada, sempre sob recomendação médica.

Em que casos não se recomenda o uso terapêutico da cannabis?

A cannabis terapêutica não é recomendada a pacientes em gestação e lactação, uma vez que não há estudos que atestem a segurança da administração de canabinoides nestes casos. Além disso, para pacientes com cardiopatia congênita, com arritmia e sem marca-passo, a indicação é estabilizar o quadro junto ao cardiologista antes de iniciar um tratamento com canabinoides, uma vez que seu uso pode trazer oscilação de pressão. Em relação ao THC, o composto não é indicado para pacientes com quadros de esquizofrenia, a fim de evitar possíveis surtos.

O CBD pode ser usado com medicamentos metabolizados pelo fígado?

Sim! Porém, é preciso respeitar o espaçamento de administração entre eles. Isso por que tanto o canabidiol como outros medicamentos são metabolizados pelo citocromo p450, que fica no fígado, e a ingestão espaçada permite a absorção adequada pelo órgão. Do contrário, além da absorção incorreta, há risco de sobrecarregar o fígado neste processo. Por isso, é importante informar seus médicos sobre o uso concomitante de outros medicamentos.

Leia também:

Doutora responde: a cannabis é eficaz no tratamento de lúpus?

Foto de capa: Jirapong Pnngjiam / Pixabay.

mm

Sobre Dra Amanda Medeiros Dias

Médica, pós graduada em pediatria e nutrologia pediátrica, cursando psiquiatria infantil pelo CBI of Miami e com certificação internacional em medicina endocanabinoide pela Green Flower, na Califórnia (EUA). Tem experiência na prática em clínica geral integrativa com crianças e adultos, com visão holística, olhando o paciente como um todo. Além de prescritora, é paciente de cannabis medicinal desde 2018. Diretora técnica no Instituto Coração Valente, médica da Clínica Gravital e voluntária em projetos da UNA (Unidos pela Amazônia). CRM - 39.234 PR
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!