O que a indústria de cannabis está fazendo pelo Rio Grande do Sul?

Fotografia da bandeira do Rio Grande do Sul (RS).

Várias marcas de produtos de cannabis têm operação direta ou indireta no estado. Mas o que elas estão fazendo pelos pacientes e funcionários gaúchos?

Até o momento, as fortes chuvas no Rio Grande do Sul afetaram cerca de 2,3 milhões de pessoas em Porto Alegre e regiões. Mais de 540 mil estão desalojadas e há 94 pessoas desaparecidas.

Infelizmente, pacientes que dependem da cannabis como tratamento não ficaram de fora. São pessoas que estão sem casa, sem dinheiro e até sem acesso a profissionais de saúde.

Por isso, a Cannalize foi atrás de várias empresas que operam no Brasil para saber como elas estão lidando com o assunto.

Apoio para pacientes e funcionários

Além dos pacientes, empresas inteiras foram afetadas pela tragédia no estado gaúcho. A 1Pure, por exemplo, marca que vende óleo de cannabis, conta que grande parte do time operacional e comercial é do Rio Grande do Sul e foi afetada de forma direta pelas chuvas.

“Alguns chegaram a perder todos os seus bens e foram deslocados, ou estão à procura de parentes e amigos”, conta a gerente de relações institucionais da empresa, Helga Júlio.

A empresa chegou a alugar casas em Santa Catarina para funcionários que estavam em áreas de risco.

“Além de ajudar na reconstrução de uma vida digna das pessoas com as quais temos contato direto, colaboramos com doações em dinheiro para protetores de animais e ONGs, além de apoiar financeiramente dois colaboradores que estão na linha de frente de resgate em Porto Alegre e Venâncio Aires.”

A Biolab, farmacêutica que também produz outros medicamentos além do óleo de cannabis, informou que está fazendo uma doação de R$ 2 milhões em remédios de uso contínuo como anti-hipertensivos, antieméticos e anticoagulantes.

Além da doação de todas as amostras grátis de medicamentos disponíveis na região aos postos de saúde.

Enquanto aos funcionários afetados, a empresa também informou que deu licença remunerada, antecipação do 13º salário aos colaboradores impactados, além de apoio médico, psicológico e jurídico.

Leia também: Frente parlamentar em defesa da cannabis do RS realiza primeiro encontro estadual

Outras empresas

A tragédia também mobilizou outras marcas de cannabis que não têm operação direta no estado, mas estão trabalhando de alguma forma para ajudar seus clientes e outras vítimas.

A Cannect, por exemplo, marketplace de produtos de cannabis, entrou em contato com todos os pacientes atendidos no estado para prestar apoio. Ajuda que se estendeu para todos os profissionais de saúde parceiros e suas famílias.

“Nos reunimos com as operadoras logísticas e marcas para tentar ao máximo que os pacientes mais críticos não fiquem sem tratamento. Além disso, estamos acolhendo os pacientes da região para entender melhor como podemos ajudá-los”, disse o diretor médico da empresa, Rafael Pessoa.

Outras marcas, como a Natyva, também entraram em contato com clientes afetados para fazer a reposição dos produtos de cannabis sem custo, a fim de que o tratamento não seja interrompido.

A Volcanic nos respondeu que está apoiando uma iniciativa privada que está enviando itens de necessidade básica para crianças de colo. Já a Remederi anunciou que fez doações pelas redes sociais.

A USA Hemp, por sua vez, respondeu que fez doações em dinheiro e no futuro, quando todos estiverem estruturados, pretendem fazer projetos de doação de medicamentos.

Marcas com CBD no SUS

A Ease Labs, marca que vende canabidiol na farmácia, também informou que está colaborando com doação de água, mantimentos e cadeiras para as vítimas das enchentes.

A farmacêutica também aprovou descontos em todos os pontos de venda do Estado, para que seus produtos sejam disponibilizados a preço de custo para as pessoas que têm indicação médica.

“Acreditamos que esse momento demanda união e colaboração de todos, seja financeira ou com itens de maior necessidade que podem auxiliar as vítimas das inundações a terem as condições básicas para se manterem seguras em meio à calamidade”, diz Gustavo Palhares, CEO da Ease Labs.

A farmacêutica Prati-Donaduzzi informou que está reunindo produtos, como itens de higiene pessoal e limpeza, alimentos não perecíveis, galões e garrafas de água potável, para serem encaminhados para as regiões gaúchas, além de estar fazendo a doação de medicamentos diretamente para as secretarias de Saúde estadual e municipais.

Correios coletam doações espontâneas

As agências de Correios dos estados de São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul também estão recebendo de doadores espontâneos itens como alimentos não perecíveis (como arroz e feijão), alimentos prontos como água, café e biscoitos, material de limpeza, fraldas e absorventes. Encontre uma agência dos Correios por aqui e doe!

Leia também:

Associação de Sergipe é impedida pela Justiça de continuar produzindo medicamentos de cannabis

mm

Sobre Cannalize

A Cannalize é um portal segmentado com o foco em trazer educação ao público, tanto sobre a cannabis medicinal quanto o uso adulto. O objetivo é responder todas as dúvidas sobre o universo canábico, desmistificar mitos e informar de forma embasada em e ancorada em especialistas e pesquisas científicas.
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!