Canadá: regulador federal apreende mais de 35 toneladas de maconha e 7.800 plantas

buds pote jeff Canadá: regulador federal apreende mais de 35 toneladas de maconha e 7.800 plantas

A inspeção realizada pela Health Canada mostra que as maiores produtoras licenciadas estavam em grande parte em conformidade com os regulamentos de produção de cannabis

A Health Canada, a agência sanitária canadense, apreendeu mais de 35 toneladas de produtos de cannabis e milhares de plantas de detentores de licenças federais por deficiências regulatórias no ano fiscal de 2019-20, divulgou o regulador federal ao MJBizDaily.

A maioria dos produtos — 26 toneladas e todas as cerca de 7.800 plantas — foi destruída, enquanto as 9,5 toneladas restantes foram retidas pela agência para serem devolvidas aos licenciados que haviam recuperado a conformidade.

Os dados da inspeção realizada pela Health Canada mostraram que as maiores produtoras licenciadas, como Aurora Cannabis e Tilray, estavam em grande parte em conformidade com os regulamentos de produção de cannabis.

Leia também: Canadá: um quarto da população diz ter usado maconha em 2021

Entretanto, o relatório lança uma nova luz sobre um período tumultuado nos primeiros anos da crescente indústria de cannabis para uso adulto do Canadá — mais notavelmente eventos em torno do problemático produtor de cannabis CannTrust.

Em meados de 2019, segundo informou o MJBizDaily, um denunciante alertou a Health Canada sobre cinco salas de cultivo não licenciadas que a CannTrust estava operando, levando à suspensão das licenças do operador e ex-diretores da empresa sendo acusados de fraude e abuso de informações privilegiadas.

De acordo com o novo relatório, os inspetores da Health Canada visitaram as instalações da CannTrust 16 vezes entre 17 de setembro de 2019 e 28 de fevereiro de 2020, para atividades que incluíam inspeções direcionadas. O relatório não informou a quantidade de cannabis que foi apreendida.

Quatro das 16 inspeções foram classificadas como “testemunhar destruição”, o que significa que a agência compareceu ao local para observar a erradicação de uma quantidade desconhecida de cannabis.

Leia também: Indústria da maconha adiciona CA$ 43,5 bilhões ao PIB do Canadá, diz relatório

O governo canadense apreendeu produtos de cannabis de apenas duas outras empresas, ambas relativamente pequenas, naquele ano — Alberta Green Biotech e Evergreen Medicinal Supply.

A Alberta Green Biotech recebeu uma observação “crítica” — a deficiência regulatória mais grave — no início de 2020 “devido à falta de controle geral no local e outras não conformidades”, segundo o relatório de inspeção.

A licença da empresa foi suspensa após as apreensões do produto. A licença foi posteriormente revogada em março de 2020, depois que os inspetores observaram uma não conformidade em seu local de produção.

A Evergreen Medicinal, com sede na British Columbia, recebeu uma observação crítica “devido a atividades não autorizadas com cannabis e não conformidades adicionais”, observa o relatório. Os produtos da empresa foram apreendidos após uma fiscalização direcionada de acompanhamento, e sua licença foi suspensa.

Prós, contras e o que ainda não se sabe sobre a cannabis legal no Canadá, após três anos

Um porta-voz da Health Canada disse ao MJBizDaily que a cannabis apreendida pode ser detida até que o produtor licenciado implemente medidas corretivas ou resolva o descumprimento que levou à apreensão.

“Uma vez que a Health Canada determina que os problemas de conformidade foram devidamente abordados, o produto apreendido é liberado para a parte regulamentada”, disse o porta-voz.

Inspeções

A Health Canada aumentou as inspeções no ano fiscal de abril de 2019 a março de 2020 em relação ao ano anterior: 417 inspeções, acima das 293.

A maior mudança envolveu o número de inspeções de produção pessoal registrada de cannabis medicinal — ou seja, pessoas registradas na Health Canada para produzir sua própria cannabis, ou aqueles que designam outra pessoa para cultivá-la para eles.

Houve 82 inspeções de produtores de cannabis medicinal pessoais e designados naquele ano, em comparação com apenas nove no ano anterior.

No entanto, as 82 fiscalizações ainda representam uma pequena porcentagem (0,002%) dos 43.680 registros de cultivos pessoais ou medicinais designados “ativos” no final de 2020.

Leia também: Sonhos do turismo com maconha no Canadá interrompidos por regras difíceis

As ações de fiscalização da Health Canada no ano incluíram:

  • 5 cartas de advertência para avisar formalmente os titulares de licenças de não conformidade.
  • 20 apreensões e detenções de produtos.
  • 3 suspensões de licença.
  • 2 revogações de licença.
  • 7 observações “críticas”.
  • 159 observações “graves”.

Uma observação “grave” é registrada para atividades descobertas por um inspetor que podem:

  • Resultar em risco à saúde pública ou à segurança pública.
  • Envolver fraude.
  • Aumentar o risco de desvio, evitar a detecção de desvio ou aumentar o risco à saúde.

Grandes produtores

Ao contrário do ano anterior, as maiores produtoras do Canadá cumpriram amplamente os regulamentos de produção de cannabis — exceto a CannTrust.

No ano fiscal de 2018-19, as gigantes canadenses de cannabis Canopy Growth Corp. e Aphria (antes da fusão da Tilray) estavam entre meia dúzia de produtores licenciados citados por graves violações regulatórias.

Mas no ano seguinte, nenhum dos maiores produtores do Canadá registrou violações “críticas”.

Leia mais:

Cannabis medicinal na Ilha de Man: Ministro saúda crescimento do setor

#PraTodosVerem: fotografia, em visão aérea, mostra a boca de um pote de vidro redondo cheio de buds de cannabis em tons de verde e laranja. Imagem: Jeff W | Unsplash.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!