Autoridades da Jamaica defendem a inclusão de pequenos cultivadores na indústria da cannabis

Fotografia mostra um cultivo de cannabis, onde inflorescências de pistilos alaranjados e cremes aparecem entre folhas em tons de marrom, com foco em um dos top buds que aparece ao centro. Foto: Yoshi / Pexels.

A discussão sobre como ajudar os pequenos cultivadores de cannabis na Jamaica já dura anos

O Ministério da Indústria, Investimento e Comércio da Jamaica recentemente se pronunciou em apoio aos pequenos produtores de cannabis. Segundo noticiou o Jamaica Observer, de acordo com o Ministro de Estado Dr. Norman Dunn, o Programa de Desenvolvimento Alternativo (ADP) ainda é visto como uma das melhores maneiras de ajudar os pequenos produtores a ingressar na indústria da cannabis e a impulsionar a economia do país.

“O ADP é uma abordagem centrada na comunidade na qual as comunidades participantes terão permissão para cultivar até 10 acres de terra e serão obrigadas a vender todos os seus resultados do programa a um comprador a jusante licenciado ou detentores de licença autorizados da Autoridade de Licenciamento de Cannabis (CLA)”, explicou o Dr. Dunn.

Dr. Dunn observou ainda que uma Licença Especial Transitória de Cultivador também é outro método sendo promovido para reduzir as barreiras à entrada de agricultores de subsistência no estágio de licenciamento.

Ele destacou que o quadro regulatório da licença é “menos rígido” e permitirá aos agricultores um período para operar na indústria, ao mesmo tempo em que capacita e acumula os recursos financeiros necessários para fazer o pedido à CLA de uma licença completa de cannabis.

Outros representantes do governo, como Olivia Grange, Ministra da Cultura, Gênero, Entretenimento e Esporte, expressaram a necessidade de regulamentação e modernização da indústria da cannabis. Com a abordagem que Dunn mencionou, Grange acredita que eles podem ajudar a remover o estigma da cannabis, permitindo que a erva “se torne a base de uma nova indústria jamaicana com potencial para fazer uma grande contribuição ao orçamento nacional”.

A inclusão de mais agricultores na indústria da cannabis pode ajudar a impulsionar a economia jamaicana, criando empregos e aumentando a produção de cannabis legal. Além disso, isso pode ajudar a diminuir a economia informal e o mercado ilícito da cannabis, tornando a indústria mais transparente e segura.

Leia também:

Antígua e Barbuda: país no Caribe autoriza comunidade rastafári a plantar cannabis

Foto de capa: Yoshi / Pexels.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!