Cidade das flores: Alemães protestam nas linhas de frente pela legalização da maconha

No último sábado, manifestantes realizaram uma marcha na cidade de Lahr pela legalização da maconha na Alemanha. Com informações do Badischen Zeitung e tradução pela Smoke Buddies

Cerca de 200 pessoas se moveram para o centro da cidade de Lahr em uma manifestação pela legalização da maconha na Alemanha, no sábado (1). Foi a primeira em Lahr com essa preocupação e ocorreu sob o lema “Cannabis normal — nenhuma planta é ilegal”.

“Vocês não são apenas muitos, mas também diversos”, disse Tobias Pietsch, organizador da manifestação. Apesar da chuva que começou cedo, cerca de 200 pessoas compareceram. Havia pessoas que, devido ao seu estilo, provocavam o preconceito generalizado de que certamente fumariam maconha: dreadlocks (ou pelo menos cabelos compridos), piercings no rosto, alargadores nas orelhas. Mas a maior parte dos participantes estava vestida de maneira discreta: jeans, jaqueta, penteado “razoável”. A idade variou entre 18 anos e uma mulher com mais de 90 anos que acompanhou a marcha.

No geral, a atmosfera era muito tranquila e descontraída, e mais ainda de alto astral. Florian Stech moderou os discursos na Rathausplatz e depois na Marktplatz. No meio, sempre havia música reggae para ser ouvida, com a qual um ou outro balançava. Os discursos foram aplaudidos em alguns lugares, e os policiais que acompanharam a manifestação também foram aplaudidos com educação. Os manifestantes saíram da Rathausplatz via Alleestrasse, passaram o cinema em direção a Altes Rathaus e dali, via Marktstrasse, para a Marktplatz. Os transeuntes se divertiram, principalmente, com o trem incrivelmente longo formado por pessoas que se juntaram. Finalmente, “Mikarus”, da cidade de Bad Krozingen, tocou músicas no violão.

Leia: A Alemanha se tornará o maior mercado de cannabis medicinal do mundo?

“Dias de maconha em vez de crisântemo” foi exigido em um dos sinais que eles carregavam. Com base em uma canção folclórica da Suábia, foi feito o seguinte incentivo: “Crie, crie, construa um conjunto”. Durante a ida ao Marktplatz, as pessoas gritaram “THC em vez de AfD. As declarações de Tobias Pietsch foram animadas: “Se todos os chapados aparecessem publicamente, este lugar não seria suficiente!” e “a Alemanha ficaria mais relaxada se houvesse um suprimento controlado de cannabis”, como afirmou a conselheira do FDP Regina Sittler.

Jürgen Durke (Partido de Esquerda / Bem-Estar Animal) e Enrico Schandl (Juventude Verde de Ortenau) abordaram a planta de cânhamo e seus muitos usos que devem ser usados ​​novamente, tanto como matéria-prima, para fins médicos e como alimento. Regina Sittler, Chris Mehnert (die Partei) e Tobias Pietsch falaram, portanto, a favor de uma distribuição controlada de maconha para adultos. Norman Schäfer, paciente com epilepsia, abordou os efeitos médicos da cannabis.

Os palestrantes apresentam bons argumentos para a legalização. A tributação controlada faz sentido, especialmente na área de proteção à juventude, que é frequentemente citada para justificar a proibição. De qualquer maneira, a maconha será fumada, mas com mercadorias do mercado clandestino, onde não há limite de idade para compra ou controle de qualidade. Mas isso é suficiente para a legalização? Produtos legais de cânhamo, como cosméticos e comestíveis, podem ser encontrados na loja de Tobias Pietsch, a “Hanfnah”. Foi inaugurada no mesmo dia em novo local, na rua Goethestrasse. No entanto, Pietsch é acusado de oferecer ilegalmente canabidiol (CBD),tanto in natura (flores) quanto sob a forma de haxixe. Ele próprio considera os produtos inofensivos por causa de seus baixos efeitos intoxicantes.

Leia também:

União Democrata Cristã avalia legalizar o uso adulto da maconha na Alemanha

#PraCegoVer: em destaque, fotografia que mostra várias pessoas, muitas com guarda-chuvas, com detalhe para um cartaz de cor verde com as palavras “For more Peace! Weed”. Foto: Heidi Fößel.

Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!