ExpoCannabis: aLeda apresenta palestrantes do Fórum Internacional

Identidade visual da aLeda na ExpoCannabis. Arte: aLeda.

A marca é patrocinadora do Fórum Internacional da ExpoCannabis Brasil, que irá debater diversos aspectos da cannabis com especialistas de diferentes países

A aLeda estará presente na ExpoCannabis Brasil, que acontece nos dias 15, 16 e 17 de setembro, no Centro de Exposições São Paulo Expo. Tratando-se de um evento sobre educação e negócios da cannabis, palestras sobre as infinitas possibilidades da maconha para o desenvolvimento de diversos setores não poderiam ficar de fora. 

Além disso, a marca acredita que a informação é o caminho mais próspero para alcançarmos a liberdade de ser quem somos, sem julgamentos ou preconceitos baseados em estereótipos racistas e de classe. O debate sobre a descriminalização e a legalização da maconha salva vidas e é fundamental. Por isso, além de especialistas e empresários, a sociedade civil organizada também estará presente debatendo sobre temas relacionados à guerra às drogas e à reparação histórica e social. 

Democratização do conhecimento

Durante os três dias de ExpoCannabis, mais de 50 convidados irão se apresentar no Fórum Internacional. O espaço tem capacidade para 500 pessoas e todos os visitantes da feira têm acesso gratuito às palestras. 

Para quem não puder comparecer ao evento, todo o conteúdo será transmitido via streaming por meio do Youtube, Vimeo e Twitch. Depois, os vídeos ficarão salvos na plataforma para que todos possam assistir com calma. 

Temas e palestrantes

A programação para o fim de semana é extensa. Confira alguns dos palestrantes que estarão presentes no Fórum Internacional da ExpoCannabis, ampliando o debate sobre temas super-relevantes para o cenário da cannabis no Brasil: 

Francisco Echarren: advogado e presidente da Agência de Cannabis da Argentina, órgão federal encarregado de regular a cadeia de valor da cannabis medicinal e do cânhamo industrial no país.

Lisette Hazeldine: cofundadora do Observatório Paraguaio de Cannabis, advogada, autora da lei que prevê o autocultivo no Paraguai e professora e pesquisadora da Universidade Nacional de Pilar. 

Daniel Radío: presidente do IRCCA (Instituto de Regulação e Controle da Cannabis), maior autoridade em cannabis do Uruguai.

Giorgio Volonghi: cofundador da HBT, empresa 100% brasileira do setor Roll-Your-Own e detentora de sete grandes marcas — aLeda, King Paper, King Blunt, Rainbow, Hi Tobacco, Acrema e Tabaquin.

Alex Machado Campos: diretor da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), formado em Direito e ex-chefe de gabinete do Ministério da Saúde. 

Nathália Oliveira: socióloga que atua com pautas relacionadas a política de drogas e direitos humanos desde 2012. Cofundadora da Iniciativa Negra por uma Nova Política sobre Drogas, organização da qual é Diretora Executiva. Também realiza Gestão e Governança da rede Plataforma Brasileira de Política de Drogas e foi eleita conselheira no Conselho Nacional de Política de Drogas (Conad 2023/2025).

Angela Boin: diretora na Associação Mãesconhas, cultivadora, membro da Coordenação Geral da FACT Brasil e da Articulação Nacional de Marchas da Maconha, fisioterapeuta, fisiologista e pesquisadora em desenvolvimento humano. 

Lívia Oliveira: moradora de periferia na Zona Leste de São Paulo, a primeira mulher trans especializada em consultoria canábica, criadora de conteúdo canábico e maquiadora. 

Márcio Makana: criador e frontman do Jornal da Maconha (2016-2018), professor na Pós-Graduação sobre História da Cannabis no Brasil e no Mundo na Unyleya, colaborador da plataforma Cannabis Monitor e anfitrião no podcast Aperta o Rec no Maconhômetro.

Maria Eugenia Riscala: CEO e cofundadora da Kaya Mind, plataforma que produz inteligência de mercado para o setor da cannabis no Brasil e na América Latina, e especialista em marketing para o mercado canábico.

Paolla Miguel: vereadora em Campinas, presidenta da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, engenheira e membro do Diretório Nacional do PT. É autora dos projetos de lei sobre distribuição de medicamentos à base de cannabis pelo SUS e fomento à pesquisa com cannabis e cânhamo. 

Luís Carlos Valois: juiz de Direito, titular da Vara de Execuções Penais do Amazonas, e mestre e doutor em direito penal e criminologia pela USP. Membro da Associação de Juízes para Democracia (AJD).

Emílio Figueiredo: advogado desde 2004, sócio do escritório Figueiredo, Nemer e Sanches Advocacia Insurgente, trabalha com direito e cannabis no Brasil há mais de 10 anos e está na diretoria executiva da Rede Reforma, sendo reconhecido como defensor de usuários e cultivadores de cannabis, principalmente para fins terapêuticos. 

Sérgio Vasquez: chefe do departamento de assessoria técnica e da Direção Geral dos Serviços Agrícolas (DGSA) do Ministério de Pecuária, Agricultura e Pesca do Uruguai. 

Rafael Acuri: advogado brasileiro com mestrado em direito regulatório, com foco na ANVISA. Atual diretor executivo da Associação Nacional do Cânhamo Industrial, no Brasil.

Martín Mercado: diretor de Desenvolvimento Industrial da Província de Canelones no Uruguai, cientista político e pós-graduado em assuntos internacionais com especialização em desenvolvimento social e econômico. 

Luís Garrido: cientista político e diretor de Controladoria da Província de Canelones. 

Agustín Mimbacas: especialista em promoção de exportações do Uruguay XXI, agência responsável pela promoção de exportações, investimentos e imagem do país.

Leia também: 

ExpoCannabis: aLeda investe em tecnologia, educação e novidades

mm

Sobre HBT

A Handmade Brazilian Tobacco nasceu do desejo de viver a vida com verdade, descobertas e quebras de paradigmas. Guiada pela transparência, consolidou-se como a primeira empresa 100% brasileira de Roll-Your-Own. Atualmente conta com 7 marcas próprias e mais de 37 produtos diferentes em seu portfólio: aLeda, Hi Tobacco, Rainbow, Tabaquin, Acrema, King Paper e King Blunt, formam a família HBT.
Deixe seu comentário
Assine a nossa newsletter e receba as melhores matérias diretamente no seu email!